Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SARCOMA SINOVIAL DE ALTO GRAU RELACIONADO AO USO CRONICO DE CATETER EM CISTOSTOMIA - RELATO DE CASO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

O cateterismo vesical de longa permanência ou a derivação vesical supra púbica têm inúmeras indicações nas doenças urológicas. Entretanto possuem riscos a longo prazo. Ao ser exposto à irritação crônica pelo cateter, o epitélio da bexiga sofre um processo inflamatório que tende à malignização cuja fisiopatologia ainda não é completamente compreendida, sabe-se que fatores presentes na urina, bem como fatores ambientais, estão relacionados ao processo de progressão da carcinogênese. Tal cenário é comprovado pelo aumento da incidência de carcinoma escamocelular da bexiga em pacientes com uso crônico de cateter, acentuadamente acima de 10 anos de cateterização, assim como nos pacientes com lesão medular, onde a incidência é de 16 a 28 vezes mais comum do que na população geral. Ainda mais raro na literatura é o achado de lesões malignas no trato da cistostomia, acometendo a parede abdominal e podendo ou não ter lesão vesical associada. A presença de lesão eritematosa nos bordos da derivação, a saída de secreção serosanguilonenta e a presença de massa se estendendo pela região em pacientes com uso crônico do cateter deve-se levantar a suspeita diagnóstica desta entidade, mesmo na ausência de lesões à cistoscopia. Relatamos o primeiro caso de um sarcoma sinovial de alto grau no trajeto de uma cistostomia supra púbica em uma paciente feminina de 80 anos encaminhada ao serviço de Urologia do Complexo Hospital de Clínicas da UFPR por relato de infecção de cistostomia. Apresentava lesão endurecida de bordos elevados no trajeto de cistostomia que em tomografia se apresentou como lesão lobulada com realce periférico pelo contraste e área central com conteúdo hidroaéreo em trajeto de sonda de cistostomia, localizada em planos musculoadiposos da parede abdominal anterior na região suprapúbica e se estendendo até a entrada na bexiga. A cistoscopia transcistostomia com biopsia levou ao diagnóstico de neoplasia fusocelular e a imunohistoquímica evidenciou sarcoma sinovial de alto grau. Devido a raridade deste diagnóstico e necessidade de abordagem individualizada torna-se importante o relato de casos de neoplasias relacionadas ao uso prolongado de cistostomia.

Palavras Chave

Tumor em Cistostomia; Cistostomia; Sarcoma Sinovial, Neoplasia Fusocelular

Tumor em Cistostomia; Cistostomia; Sarcoma Sinovial, Neoplasia Fusocelular

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Universidade Federal do Parana - - Bahrein

Autores

Joaquim Lorenzetti Andrade, Mateus Bellote, Lydino Barbier Neto, Daniel Elias Carara, Raphael Flavio Fachini Cipriani, Ivam Vargas Martins da Silva, Luciano Ricardo Sfredo, Felipe Rocha Martins