Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SEMINOMA ANAPLASICO GIGANTE COM INFILTRAÇAO DE VASOS ILIACOS: RELATO DE CASO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO: Os tumores do tipo seminoma representam quase metade das neoplasias testiculares. Cerca de 5-10% são classificados como anaplásicos, variedade associada a elementos sinciciotrofoblásticos, produtores de gonadotrofina coriônica (β-HCG). O diagnóstico e estadiamento são feitos através da ultrassonografia escrotal e da tomografia computadorizada (de tórax, abdome e pelve). Além disso, a avaliação depende da pesquisa dos marcadores tumorais, alfa-fetoproteína (AFP), β-HCG e a desidrogenase láctica (LDH), sendo este último associado diretamente com o tamanho da massa neoplásica. Mais agressivo do que o seminoma clássico, a metástase ao diagnóstico ocorre em 30% dos casos e o tratamento compreende a ressecção do tumor e avaliação da necessidade de abordagem adjuvante. APRESENTAÇÃO DO CASO: A.N.R., 36, encaminhado devido à massa testicular volumosa, com evolução de dois anos. Na investigação complementar, lesão heterogênea sugestiva de neoplasia na ultrassonografia e LDH de 2.747UI/L, sem alteração em outros marcadores. A tomografia evidenciou lesão de 20,8 x 16,3 x 22,1cm, com extensão para canal inguinal direito, nódulo pulmonar, linfonodomegalias inguinais (de 45x29mm na maior dimensão), comprometimento de veia ilíaca à direita e múltiplos linfonodos retroperitoneais. Na abordagem cirúrgica, apesar das margens macroscopicamente comprometidas, foi realizada ressecção de cordão espermático e retirada da massa de bolsa escrotal. Devido a aderências em anel inguinal e vasos ilíacos direitos, não foi possível ressecção completa da massa pélvica, ressecção com caráter citorredutor (R2). Devido à identificação de linfonodos acometidos, de até 4cm, foi realizada linfadenectomia inguinal direita, com componentes metastáticos confirmados posteriormente pela análise anatomopatológica. O paciente foi classificado como EC III, risco intermediário, com estadiamento T4N2M1bS2. Foram indicados quatro ciclos de quimioterapia (BEP), com regressão das linfonodomegalias e do nódulo pulmonar. Paciente mantém-se assintomático, sem alterações sugestivas de recidiva e com LDH de 190UI/L. Devido à estabilidade da doença, mantido acompanhamento com tomografia e marcadores tumorais a cada quatro meses. O acompanhamento ambulatorial do paciente revela boa resposta ao tratamento realizado. COMENTÁRIOS FINAIS: Mesmo num contexto de massa de grandes dimensões, observou-se evolução similar ao previsto nos casos de seminoma clássico.

Palavras Chave

Neoplasias Urológicas; Neoplasias Embrionárias de Células Germinativas; Neoplasias Testiculares.

Área

Câncer de Testículo

Instituições

Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná - Parana - Brasil

Autores

Luciano Ricardo Sfredo, Osny Barros Junior, Lydio Barbier Neto, Raphael Flávio Fachini Cipriani, Joaquim Lorenzeti Andrade, Daniel Elias Carara, Ivam Vargas Martins da Silva, Ingridy de Souza Digner