Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CORRELAÇAO ENTRE A EXPRESSAO DE INDOLEAMINA 2,3-DIOXIGENASE E MACROFAGOS M2 EM BIOPSIAS DE CANCER DE BEXIGA NAO-MUSCULO INVASIVO E MUSCULO INVASIVO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Introdução: O Câncer de Bexiga (CB) é a nona neoplasia mais prevalente e a primeira mais recorrente no
mundo. Seu estadiamento é definido pela sua extensão, em não-músculo-invasivo (CBNMI) e
músculo-invasivo (CBMI), sendo os CBNMI mais frequentes (75%). Uma taxa significativa de
CBNMI reincide após ressecção, e muitos progridem para a forma MI. Sua etiopatogênese está
diretamente ligada ao Microambiente Tumoral (MAT), de onde se estabelece uma
imunossupressão local e evasão às respostas imunes antitumorais. Evidências crescentes
sugerem que a indoleamina-2,3-dioxigenase (IDO) e os macrófagos tumor associados (MTAs),
mais especificamente do tipo M2, têm funções imunossupressoras, promovendo progressão e
metástase tumoral. Diversas publicações já confirmaram que pacientes com aumento da
expressão de IDO exibem uma diminuição na sobrevida doença-específica, e a infiltração de
macrófagos M2 está associada com aumento do grau histológico, patológico e também piora
da sobrevida. Entretanto, como os mecanismos moleculares da atividade imune no MAT do CB
não foram suficientemente descritos, e visto que, se é especulado que macrófagos M2 e IDO
têm potencial como alvos para imunoterapia e marcadores prognósticos no CB, mas nunca
foram correlacionados antes, se propõe o presente estudo. Objetivos: Avaliar a correlação
entre a expressão de IDO e macrófagos M2 em Tissue Micro Array (TMA) contendo amostras
teciduais de CBNMI e CBMI, e sua correlação com dados clínico-patológicos. Materiais e
métodos: Foram selecionados retrospectivamente os pacientes com diagnóstico de CB tratados
no Hospital Brigadeiro entre 2012 e 2017, totalizando 88 casos de CBNMI e 77 casos de CBMI.
A expressão de IDO e macrófagos M2 foi avaliada por imunohistoquímica, utilizando-se
anticorpos anti-IDO e anti-CD206, respectivamente, em TMA contendo três amostras por caso.
Foi correlacionada a expressão dos mesmos entre si, com invasão tumoral, grau tumoral,
progressão, recidiva e sobrevida. Resultados: Há correlação entre IDO e CD206. A maior
expressão de IDO está relacionada com CBMI. O aumento na expressão de CD206 prediz
menor sobrevida e maior expressão de ambos está relacionada com maior grau tumoral.
Conclusão: Há correlação entre a expressão de IDO e macrófagos M2, indicando um possível
mecanismo fisiopatológico no CB, além da correlação com marcadores prognósticos,
possibilitando a proposição do uso de ambos como biomarcadores complementares na
avaliação prognóstica.

Palavras Chave

Câncer de Bexiga. Indoleamina 2,3-dioxigenase. Macrófagos M2.

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Universidade de São Paulo - Sao Paulo - Brasil, Universidade Nove de Julho - Sao Paulo - Brasil

Autores

Ana Carolina Monteiro Brunetti, Janaína Mendes Ferreira, Andressa Assunção dos Santos, Luiz Henrique Gomes Matheus, Kátia Ramos Moreira Leite, José Pontes Júnior, Humberto Dellê