Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RECONSTRUÇAO DE GLANDE COM ENXERTO DERMO-EPIDERMICO DE COXA POS GLANDECTOMIA POR CARCINOMA EPIDERMOIDE DE PENIS

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

-Introdução:
O carcinoma epidermóide de pênis (CEP) é atualmente uma doença mais frequente em países em desenvolvimento, representando 2% dentre todos os tipos de câncer que atingem o homem. A falta de higiene, a fimose são considerados fatores de risco, e sua relação com o vírus HPV (subtipos 16 e 18) tem se mostrado presente em diversos estudos. Os autores apresentam um caso clínico de um doente com extensa perda de substância da glande secundária à neoplasia e descrevem brevemente a técnica cirúrgica utilizada para a correção, em uma adaptação da técnica descrita por Palminteri em 2007
-Método:
Relatar um caso de carcinoma epidermóide primário de pênis tratado através de glandectomia e reconstrução com enxerto dermo-epidérmico de coxa atendido no Serviço de Oncologia do Hospital Regional do Oeste (Chapecó/SC)
-Discussão:
O.S., 67 anos, lesão ulcerativa, endurecida de 2,5 cm em glande com 20 meses de evolução. Negando tabagismo e zoofilia. Havia presença de retração e atrofia prepucial. Ausência de linfonodomegalias palpáveis ao exame físico inguinal. Realizado glandectomia com reconstrução da glande com enxerto de pele da coxa. A abordagem cirúrgica para a reconstrução da glande e do pênis torna-se importante, visando manter a micção em ortostatismo, a ereção com possibilidade de penetração vaginal e ejaculação, além de se minimizar as consequências psicológicas que um evento mutilante representa, preservando a qualidade de vida dos pacientes submetidos às cirurgias de ressecção de lesões neoplásicas. Palminteri e colaboradores (2007) apresentaram uma série de casos na qual houve descrição de técnica semelhante à utilizada neste relato; construção de neoglande, que foi realizada através de técnica minimamente invasiva, com desepitelização completa da glande seguida de enxerto de pele parcial da coxa.
-Conclusão:
A reconstrução da glande com enxerto de pele de coxa é um procedimento factível e satisfatório, apresentando uma alternativa importante na reconstrução da genitália masculina após tratamento cirúrgico com amputação.

Palavras Chave

Área

Tumores Raros

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - Santa Catarina - Brasil

Autores

Marcelo Zeni, Bruno Vinicius Duarte Neves, Gustavo Re Colonheze, Gabriela Duarte Neves