Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MANEJO CIRURGICO E COMPLICAÇOES DE NEFRECTOMIA RADICAL COM TROMBECTOMIA DE TUMOR RENAL ASSOCIADO A TROMBO TUMORAL EM VEIA CAVA: EXPERIENCIA DE SERVIÇO TERCIARIO.

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO: Uma das complicações mais temidas do carcinoma de células renais (CCR) é a formação de trombo tumoral na veia renal e sua extensão para a veia cava inferior, podendo chegar ao átrio direito. Isso pode ocorrer em aproximadamente 3 a 10% dos pacientes com CCR. Diversas abordagens cirúrgicas já foram descritas, dependendo da extensão e da localização do tumor. Devido a complexidade dos casos, há grande necessidade de avaliação pré-operatória minuciosa.
OBJETIVOS: Correlacionar o manejo cirúrgico, as técnicas anestésicas e as complicações peri-operatórias de pacientes submetidos a nefrectomia radical e trombectomia de trombo tumoral invadindo veia cava em hospital terciário de Fortaleza-CE nos últimos 05 anos.
MÉTODOS: Realizada análise do prontuário de dez pacientes submetidos a nefrectomia radical e trombectomia por carcinoma de células renais e trombo tumoral. Todos os casos foram operados sem o uso de circulação extracorpórea. Foram analisados parâmetros cirúrgicos, anestésicos, complicações e sobrevida dos pacientes.
RESULTADOS: Foram identificados dez pacientes submetidos a nefrectomia radical com trombectomia entre 2013 e 2018. A média de idade foi de 69 anos. Sete pacientes do gênero masculino e 03 do feminino. Segundo a classificação de Novick, 5 pacientes tinham trombo na veia cava em até 2cm da saída da veia renal (nível 1), 3 pacientes na cava abaixo da intrahepática e 2 pacientes na cava intrahepática. Nenhum paciente apresentava trombo tumoral no átrio direito. O subtipo histológico de todos os tumores era carcinoma de células claras. Sete pacientes apresentavam doença metastática a distância (4 com metástases pulmonares e 3 com metástases hepáticas). O tempo cirúrgico foi variável, indo de 210min de cirurgia, até 400min, com média de 296min. O tempo anestésico variou de 245min a 450min, média de 330min. Perda sanguínea média estimada ficou em torno de 3000ml, variando de 900ml a 8000ml. O tempo de hospitalização variou de 5 a 25 dias, com média de 12 dias. A taxa de mortalidade no período de 30 dias após a cirurgia foi de 40%.
CONCLUSÕES: A nefrectomia radical associada a trombectomia para tumor renal associado a trombo tumoral de veia cava é procedimento complexo e deve ser realizado em centros especializados e com experiência e estrutura para realizar tal procedimento. A taxa de mortalidade, mesmo em grandes centros é elevada devido à complexidade dos pacientes e muitas vezes de múltiplas comorbidades associadas.

Palavras Chave

TUMOR RENAL; TROMBO DE CAVA; NEFRECTOMIA

Área

Câncer de Rim

Instituições

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FORTALEZA - Ceara - Brasil

Autores

BRUNO ROBERTO SILVA FERREIRA, ANGELO CUNHA FIGUEIREDO FILHO, ROMULO CESAR COSTA BARBOSA FILHO, GUSTAVO AUGUSTO MENDES COSTA LIMA, LUCAS BRUNO BORGES, GUILHERME CARDOSO FERNANDES, CLOVIS CARDOSO PAIVA NETO, ALEXANDRE SABOIA LEITÃO JÚNIOR, FRANCISCO JOSE CABRAL MESQUITA, ROMULO AUGUSTO SILVEIRA