Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ADENOMA METANÉFRICO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Introdução: Apresentação de um relato de caso sobre o Adenoma Metanéfrico, neoplasia rara, geralmente assintomática, que eleva o diagnóstico diferencial com outros tumores renais mais frequentes. Estabelecer características epidemiológicas, clínicas e radiológicas.
Material e Método: Paciente A.M.S., 32 anos, Masculino, trabalhador rural com quadro de dor lombar e Hipocôndrio Direito (HCD) há 6 meses, apresentou 1 episódio de hematúria macroscópica, sem comorbidades. Ao exame físico presença de massa abdominal em topografia de flanco direito e HCD, endurecida sem mobilidade. Realizado angiotomografia de abdome com presença de volumosa formação expansiva sólida, de origem renal medindo 23,6x19,0x17,0.
Resultados: O adenoma metanéfrico é um tumor raro, recentemente reconhecido como um singular tumor benigno renal. É geralmente detectado em adultos e ocasionalmente em crianças. São mais freqüentes em pacientes do sexo feminino numa relação de 2:1. A média da idade dos pacientes acometidos é de 41 anos, com variação de cinco a 83 anos e a média de tamanho do tumor é de 5,5cm. Os sinais e sintomas comumente presentes incluem dor, hematúria, massa palpável e policitemia.Paciente submetido à Laparotomia Exploradora (Xifopúbica), associado a toracotomia à direita com drenagem torácica à direita, devido dimensões elevadas do tumor e seu efeito de massa sobre o fígado direito. Histopatólogico de Adenoma Metanéfrico, com índice de proliferação observado e avaliado pelo K167 alto, pesando 3910g e 27,0 x 19,0 x 14,0. Acompanhamento pós operatório assintomático.
Discussão: O adenoma metanéfrico é um tumor raro, incluído na classe dos tumores epiteliais renais benignos. Geralmente é detectado em adultos e ocasionalmente em crianças, com excelente prognóstico. Até 1999, cerca de 100 casos foram relatados na literatura.
Conclusão:Dada a sua identificação recente e a falta de meios de diagnósticos clínicos, radiográficos e citológicos definitivos, o diagnóstico do adenoma metanéfrico tem sido feito através de estudo histológico, imunohistoquímico e genético, porque a maioria dos pacientes, se não todos, necessitam excisão cirúrgica do tumor devido à preocupação relacionada a malignidade.


Palavras Chave

Tumores raros, Adenoma metanéfrico, Tumores renais

Área

Tumores Raros

Instituições

Departamento de Cirurgia Universidade Federal de Goiás (HC/UFG) - Disciplina de Urologia – (Goiânia- GO) - Goias - Brasil

Autores

Hudson S Ribeiro , Yuri Kossa, Matheus Azevedo, Rodrigo Trivilato, Marcio Costa, Rodrigo R Lima, Bernardo Barreira, Nadin Chater