Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RABDOMIOSSARCOMA DE PROSTATA: RELATO DE CASO E REVISAO DA LITERATURA

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Introdução: O rabdomiossarcoma (RMS) é um tumor maligno originado de células mesenquimais. Principal tumor de próstata em crianças, incomum e mais agressivo em adultos. Incidência 0,3 a 1% dos tumores malignos da próstata. Tipos histológicos: embrionário (60-70%), alveolar e pleomórfico. Principais sítios de metástase são pulmões, ossos (metástase osteolítica), linfonodos, fígado e serosas. Localmente pode infiltrar os planos periuretrais, perivesicais e perirretais. Diagnósticos diferenciais são linfoma e carcinoma de pequenas células. Clínica de sintomas urinários obstrutivos, hematúria, incontinência urinária, dor pélvica; constipação intestinal por compressão/infiltração de planos perirretais. Diagnóstico definitivo se dá por biópsia transretal guiada por US. Avaliação local com tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM). Tratamento consiste em quimioterapia (QT) neoadjuvante e posterior ressecção cirúrgica. A radioterapia tem papel no controle local do tumor com preservação vesical.
Quadro clínico: homem, 19 anos, procurou atendimento por sintomas do trato urinário inferior há 6 meses, próstata de consistência pétrea ao toque retal. RM próstata: lesão prostática extensa, linfonodos de aspecto secundário ilíaco interno/obturatório e pré sacral. Biópsia de próstata transretal: RMS embrionário de próstata. TC estadiamento: linfonodos mediastinais e axilares bilaterais inespecíficos para doença à distância. Submetido a QT neoadjuvante com ciclofosfamida, doxorrubicina e vincristina. Evoluiu com melhora dos sintomas urinários, redução significativa da massa tumoral na RM e sem sinais de doença à distância em nova TC.
Submetido a prostatectomia radical e linfadenectomia iliaco-obturatória estendida, sem intercorrências. No intraoperatório identificadas e ressecadas três lesões nodulares em parede lateral esquerda da bexiga. Pós operatório sem necessidade de drogas vasoativas ou oxigênio suplementar; alta hospitalar no quarto pós-operatório. Sonda vesical retirada no décimo pós-operatório. Anatomopatológico: RMS de próstata extenso, nódulos vesicais, margem uretral e linfonodos compatíveis com RMS de próstata; vesículas seminais, ductos deferentes e margem vesical livres de neoplasia. No momento paciente bem, incontinência discreta, disfunção erétil, encaminhado para radioterapia por margens comprometidas.
Conclusão: RMS de próstata é condição rara que deve ser lembrada especialmente em pacientes jovens e com apresentação clínica atípica.

Palavras Chave

Rabdomiossarcoma de próstata; quimioterapia neoajuvante; prostatectomia radical; tumor mesenquimal

Área

Tumores Raros

Instituições

Unicamp - Sao Paulo - Brasil

Autores

Fabio Coltro Neto, Ivan Borin Selegatto, Gustavo Santana de Lima, Pedro Fernandes Lessa, Matheus Botelho Santos, Marina Correa Viana, Ricardo Miyaoka, Wagner Eduardo Matheus, Fernandes Denardi, Ubirajara Ferreira