Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

IMUNOTERAPIA NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE PRÓSTATA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE A EVOLUÇÃO DO TRATAMENTO.

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Introdução: A imunoterapia é a utilização de medicamentos para induzir o sistema imunológico a reconhecer e destruir as células cancerígenas de maneira mais eficaz. Nos últimos anos, a imunoterapia consagrou-se uma importante modalidade de tratamento do câncer (CA) de próstata e, apesar dos princípios da imunoterapia terem evoluído ao longo de muitas décadas, as aprovações da Food and Drug Administration (FDA) para o uso das drogas sipuleucel-T e ipilimumab começaram uma nova onda na imuno-oncologia (BILUSIC, 2017). Objetivos:Discutir sobre os avanços nos estudos e dos tratamentos com imunoterapia para o CA de próstata. Metodologia: Revisão sistemática de literatura de plataformas virtuais MEDLINE, LILACS, SCIELO, PUBMED, sendo 5 artigos analisados e palavras-chave como imunoterapia, câncer de próstata e vacinas tumorais. Resultados: O Sipuleucel-T, uma vacina terapêutica de células dendríticas, foi aprovado pela FDA para câncer de próstata em 2010. Nenhuma nova imunoterapia para o CA de próstata foi aprovada desde então. Porém, novos agentes e abordagens combinadas oferecem grandes promessas para melhorar os prognósticos dos pacientes com CA de próstata (REDMAN, 2017). Outras vacinas tumorais foram investigadas. O PROSTVAC-VF emprega um vetor recombinante baseado em poxvírus codificado com PSA e TRICOM, combinação de moléculas co-estimulatórias consistindo em B7-1, ICAM-1 e LFA-3 (CHENG, 2015). Outros agentes que modulam o microambiente do tumor para aperfeiçoar a resposta imune contra as células cancerígenas da próstata também estão sendo desenvolvidos. Inibidores do ponto de verificação imune como ipilimumab, anticorpo monoclonal anti-PD-1 (morte celular programada 1) e inibidores da Indoleamina 2,3-dioxigenase (IDO). Porém, os dados preliminares mostram a eficácia destes em limitar-se a pacientes com CA de próstata metastático resistente à castração (mCRPC) com fatores de risco favoráveis sem qualquer doença visceral. É preciso mais ensaios clínicos para saber quais pacientes se beneficiariam da imunoterapia (PIZZOLA, 2016). Conclusão: O propósito da imunoterapia para o CA de próstata não precisa ser a eliminação completa da doença avançada, mas o retorno a um equilíbrio imunológico com um estado indolente da doença. Além de uma combinação ideal do tratamento, também estão em andamento esforços para achar biomarcadores da resposta imune. Com essa combinação, o futuro da imunoterapia do CA de próstata parece mais brilhante do que nunca (BILUSIC, 2017).

Palavras Chave

imunoterapia, câncer de próstata , vacinas tumorais.

Área

Câncer de Próstata Metastático

Instituições

Universidade de Rio Verde - Goias - Brasil

Autores

Adriany Brito Sousa, Melissa Costa Prado, Leonardo Lucio Martins Teixeira , Bárbara Correia Neves