Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CANCER DE BEXIGA MUSCULO-INVASIVO COM RESPOSTA COMPLETA DURADOURA APOS TRATAMENTO DE PRESERVAÇAO VESICAL – RELATO DE CASO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO
O tratamento-padrão para o câncer de bexiga músculo-invasivo é a quimioterapia neoadjuvante seguida de cistectomia radical. Entretanto, a cistectomia radical envolve morbidade significativa, motivo pelo qual há o interesse em terapias de preservação vesical. Infelizmente, não há consenso sobre a melhor estratégia de realizar a terapia de preservação de bexiga.
OBJETIVOS
Relatar o caso de um paciente que apresentou resposta completa duradoura em câncer de bexiga músculo-invasivo localmente avançado após quimioterapia neoadjuvante, seguida de ressecção transuretral (RTU) máxima e quimio-radioterapia.
MÉTODOS
Revisão em dados do prontuário e relato de caso clínico através de história clínica, procedimentos cirúrgicos, tratamentos medicamentosos e exames de imagem.
RESULTADOS
Paciente do sexo masculino, 64 anos, ex-tabagista, com episódio de hematúria auto-limitada em 2016, evoluindo um ano após com obstrução urinária. Realizou ressonância magnética (RM) de abdome e pelve em 09/10/2017 que evidenciou lesão sólida vegetante intravesical em assoalho, predominantemente à direita, medindo 6,7x6,0cm e determinando uretero-hidronefrose ipsilateral. Foi submetido a RTU de lesão vesical. Anatomopatológico resultou em carcinoma urotelial papilífero de alto grau, com invasão da camada muscular. Demais exames de estadiamento não mostraram metástase à distância. Proposto tratamento de quimioterapia neoadjuvante seguido de cistectomia radical. Realizou no período de 11/12/2017 a 23/02/2018, 4 ciclos de cisplatina 70mg/m2 D1 + gencitabina 1000mg/m2 d1, d8 a cada 21 dias. RM de avaliação de resposta demonstrou resposta parcial (lesão vesical medindo 2,4cm x 1,0cm, ausência de linfonodomegalias). Apesar de orientado sobre os riscos, paciente recusou cirurgia de cistectomia radical. Foi procedido RTU máxima de lesão vesical seguido de radioterapia 3D em bexiga (60Gy em 30 frações) e drenagem pélvica (40Gy) associado a cisplatina semanal na dose de 40 mg/m2 por 7 semanas, com término em 06/08/2018. RM e cistoscopia de avaliação de resposta confirmaram resposta completa. Paciente permanece em seguimento oncológico há 18 meses mantendo resposta completa e excelente funcionalidade da bexiga.
CONCLUSÕES
Existe uma demanda crescente sobre estratégias de preservação vesical no câncer de bexiga músculo-invasivo. Esse relato de caso demonstrou um paciente com resposta completa e duradoura após tratamento conservador, apesar da presença de fatores de pior prognóstico.

Palavras Chave

Câncer de bexiga; Quimioterapia; Preservação Vesical

Área

Câncer Bexiga

Instituições

HOSPITAL GERAL DR. CÉSAR CALS - Ceara - Brasil, SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE FORTALEZA - Ceara - Brasil

Autores

FRANCISCO RENAN DOTH SALES, HUMBERTO HOLANDA MADEIRA BARROS, FRANCISCO JOSÉ CABRAL MESQUITA, ANTONIO AUGUSTO GUTERRES CASTRO, FRANCISCO HIDELBRANDO ALVES MOTA FILHO, MAURO CABRAL DE ROSALMEIDA, VLADIMIR PINHEIRO DE OLIVEIRA, RÔMULO AUGUSTO DA SILVEIRA, KARINE MARTINS DA TRINDADE, ANA CAROLINA MATOS DE QUEIROZ