Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

LINFADENECTOMIA RETROPERITONEAL LAPAROSCOPICA EM PACIENTE COM TUMOR TESTICULAR NAO- SEMINOMATOSO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO: A linfadenectomia retroperitoneal (LR) por via aberta é procedimento cirúrgico de grande porte e que proporciona alta morbidade ao pacientes. A cirurgia laparoscópica apresenta menor morbidade comparada à aberta.
OBJETIVOS: Relatar a experiência cirúrgica de caso de paciente com tumor não-seminomatoso submetido a linfadenectomia retroperitoneal videolaparoscópica e revisar a literatura pertinente.
MÉTODOS: Realizada coleta da história e assinatura do termo de consentimento.
RESULTADOS: Paciente, 22 anos, diagnosticado com tumor de testículo à direita. Marcadores tumorais mostraram aumento importante de alfafetoproteína e beta-hcg. Tomografia computadorizada (TC) de abdome mostrou linfadenos retroperitoneais heterogêneos anterioremente a veia cava inferior e cadeia paraórtica a esquerda, medindo 2,5x2,4 e 1,3x0,7cm. Submetido a orquiectomia radical a direita. Histopatológico (HP) mostrou tumor de células germinativas misto, composto por teratoma (70%) e carcinoma embrionário (30%). Os marcadores tumorais declinaram para os valores dentro da normalidade e paciente foi encaminhado para realizar quimioterapia (QT). TC de abdome de controle mostrou ainda a linfadenomegalia retroperitoneal (2,0x1,4 e 0,9x0,7cm). Foi submetido a linfadenectomia retroperitoneal por vídeo-laparoscopia, com paciente na posição à francesa e acesso à retrocavidade após dissecção de raiz de mesentério e exposição de veia cava e aorta. Realizada linfadenectomia satisfatória e com segurança oncológica, sem intercorrências. Procedimento durou aproximadamente 03 horas. Paciente evoluiu com excelente recuperação pós-operatória, recebendo alta 24h após a cirurgia e retornando às suas atividades em 15 dias. O HP demonstrou metástase de componente teratomoso (100%) maduro em toda a amostra enviada.
CONCLUSÕES: O procedimento foi realizado por acesso pouco habitual para a realidade da urologia, com linfadenectomia sendo realizada após abertura da raiz do mesentério. Nos pacientes com tumores testiculares metastáticos submetidos a QT prévia, pode ocorrer formação de tecido cicatricial que adere aos grandes vasos, dificultando a ressecção tumoral. Nesses casos, a cirurgia laparoscópica, deve ser realizada com extrema cautela, devido ao risco de lesão vascular com consequente conversão em cirurgia aberta. Nesse caso, o paciente foi altamente beneficiado por procedimento minimamente invasivo, gerando pequena morbidade, sem intercorrências e com segurança oncológica.

Palavras Chave

Tumor de Testiculo; Orquiectomia; Linfadenectomia

Área

Câncer de Testículo

Instituições

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE FORTALEZA - Ceara - Brasil

Autores

BRUNO ROBERTO SILVA FERREIRA, FRANCISCO HIDELBRANDO ALVES MOTA FILHO, KARINE M TRINDADE, LUCIANA A QUEIROZ, FABIO N SANTOS, CARLOS EDUARDO L MORAIS, FRANCISCO JOSE CABRAL MESQUITA, VLADMIR PINHEIRO OLIVEIRA, ANGELO CUNHA FIGUEIREDO FILHO, ROMULO AUGUSTO SILVEIRA