Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇAO ENTRE NEFRECTOMIA PARCIAL LAPAROSCOPICA COM E SEM CLAMPEAMENTO HILAR: EXPERIENCIA DE SERVIÇO DE UROLOGIA.

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO: A nefrectomia parcial laparoscópica (NPL) vem ganhando muito espaço, quando comparada a nefrectomia radical, devido às evidências crescentes que sugerem resultados oncológicos semelhantes, e menor incidência de doença renal crônica e aumento da sobrevida global. Com relação a NPL, novos estudos questionam a realização da nefrectomia com clampeamento do hilo renal, que é realizado com a intenção de diminuir a perda sanguínea e permitir a ressecção tumoral com melhor visualização. Contudo, a isquemia renal pode prejudicar a função renal, tanto a curto, quanto a longo prazo.
OBJETIVOS: Comparar resultados e desfechos de pacientes submetidos a nefrectomia parcial laparoscópica com e sem clampeamento do hilo renal.
MÉTODOS: No período de 2018 a 2019, 13 pacientes foram submetidos a NPL em serviço de urologia. Estudo aprovado pelo comitê de ética. Escore renal foi avaliado com base em tomografias. Todas as cirurgias foram realizadas por uma única equipe. Todos os procedimentos foram por via transperitoneal. A função renal foi avaliada através da comparação dos níveis de creatinina e clearence.
RESULTADOS: A idade média foi de 51 anos (variação de 24 a 78). A distribuição por gênero foi de 8 homens e 5 mulheres. O tamanho médio dos tumores foi de 3,1 cm (variação de 1,2 a 5,6). O escore médio renal foi de 5 (4-7). A histologia dos tumores revelaram 4 carcinomas de células renais, 5 angiomiolipomas e 4 oncocitomas. A perda média estimada de sangue foi de 250 ml (variação de 100 a 800).O tempo cirúrgico médio foi de 150 minutos (variação de 100 a 240). Dois pacientes (escores 7) receberam transfusão de sangue por hemorragia durante a cirurgia. Não houve pacientes com margens cirúrgicas comprometidas. Não houve fístula urinária. Não houve conversão para cirurgia aberta. Não houve alteração na função renal no acompanhamento pós-operatório durante 6 meses. Sete pacientes foram submetidos a clampeamento renal e 6 pacientes não foram. Os pacientes que foram submetidos a clampeamento renal tinham tumores maiores e com acesso difícil.
CONCLUSÕES: A nefrectomia parcial laparoscópica com ou sem clampeamento renal é alternativa segura para controle oncológico dos pacientes com tumor renal. O benefício quanto a alteração da função renal necessita de longo tempo de seguimento para avaliação de real resultado.

Palavras Chave

TUMOR RENAL; NEFRECTOMIA PARCIAL; LAPAROSCOPIA

Área

Câncer de Rim

Instituições

HOSPITAL ANTÔNIO PRUDENTE - Ceara - Brasil, HOSPITAL GERAL DO EXÉRCITO DE FORTALEZA - Ceara - Brasil

Autores

BRUNO ROBERTO SILVA FERREIRA, TIAGO SOARES BISSONHO, BRENO ARCANJO CHAVES, ANTONIO DANILO MOURAO MELO, ALYSSON SALES MELO