Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

METASTASE URETERAL TARDIA DE CANCER DE PROSTATA HORMONIO-SENSIVEL: RELATO DE CASO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Relato de Caso:
Homem, 82 anos, procurou nosso serviço em outubro de 2019 com queixa de hematúria macroscópica. Foi realizada uro-tomografia, evidenciando lesão em ureter distal esquerdo 2,7cm, com realce ao meio de contraste, associado a hidronefrose a montante e afilamento de parênquima renal, sendo feita a hipótese de carcinoma urotelial. Sem antecedente de tabagismo. Como antecedentes patológicos, apresentava diagnóstico de câncer de próstata (CaP) desde 1995, quando foi realizada prostatectomia radical por neoplasia de risco intermediário (PSA inicial 5,4; Gleason 4+3; pT2N0). Evoluiu com recidiva bioquímica após 18 meses, sendo realizada radioterapia de resgate e seguimento até 2009, sem evidência de doença. Na admissão, PSA era 17,5.
Foi realizada nefroureterectomia com linfadenectomia pélvica videolaparoscópica. O anatomopatológico revelou um adenocarcinoma com arquitetura cribiforme, infiltrando a parede do ureter, além de um linfonodo com extensão extra-capsular. A imuno-histoquímica revelou positividade do PSA e do marcador NKX3.1, confirmando o diagnóstico de CaP metastático em ureter.
Após 1 mês da cirurgia, houve com queda discreta do PSA para 13,5ng/dL. Cintilografia óssea e tomografia, sem evidência de outros focos de doença. Optado por iniciar gosserelina.
Discussão:
Os tumores do ureter são mais frequentemente de origem urotelial. O acometimento metastático do ureter é extremamente raro, sendo originado mais comumente do câncer de mama e gástrico.
Os principais sítios de metástases do CaP são os linfonodos, ossos, pulmão e fígado, enquanto a metástase ureteral é extremamente rara, com pouco mais de 40 casos descritos. A maioria dos pacientes tem como queixa principal a dor lombar, sendo que a hematúria o segundo sintoma mais frequente. O diagnóstico geralmente é dado no pós operatório, pelos achados do patologista com auxílio de imuno-histoquímica.
O tratamento adjuvante da metástase ureteral depende diretamente do perfil de sensibilidade do CaP ao bloqueio hormonal. Existem relatos de tumores castração sensível e castração resistentes. Nosso paciente era virgem de tratamento sistêmico, sendo iniciada gosserelina.
Além da localização rara da metástase, nosso caso é também peculiar pela sua ocorrência tardia, superior a 20 anos do diagnóstico inicial do CaP.
Conclusões: O ureter é um sítio raro para metástase de CaP, cujo diagnóstico ocorre mais habitualmente após a cirurgia. A adjuvância com bloqueio hormonal é controversa.

Palavras Chave

Câncer de próstata; metástase; ureter

Área

Câncer de Próstata Metastático

Instituições

AC CAMARGO - Sao Paulo - Brasil

Autores

EDER SILVEIRA BRAZAO JR, PHELIPE CELESTINO SANTOS, WARLEY ABREU NUNES, RAFAEL RIBEIRO MEDUNA, VICTOR ESPINHEIRA SANTOS, JAYME CAON NOBRE, WALTER HENRIQUES DA COSTA, STENIO CASSIO ZEQUI