Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

LIPOSSARCOMA DE CORDAO ESPERMATICO: RELATO DE CASO E REVISAO DE LITERATURA

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

Introdução: A maioria dos tumores de cordão espermático são benignos, sendo que apenas 20 a 30% são malignos. Dentre os malignos, os sarcomas são o tipo mais comum, sendo o subtipo lipossarcoma o mais prevalente em adultos, habitualmente em homens mais idosos. Lipossarcomas de cordão espermático (LSC) são extremamente raros, correspondendo a 37% de todos os tumores de cordão espermático e com apenas 327 casos descritos na literatura até o momento.

Objetivos: Descrever um caso de lipossarcoma desdiferenciado de cordão espermático e realizar uma revisão de literatura.

Métodos: Relato de caso e revisão bibliográfica

Apresentação do caso: Apresenta-se um caso de um homem de 83 anos de idade com uma massa escrotal direita indolor de crescimento progressivo, que foi submetido a orquiectomia e hemiescrotectomia direitas. A análise histopatológica confirmou LSC.

Discussão: LSC são tumores raros cuja apresentação habitual é massa inguinal de crescimento lento e fazem diagnóstico diferencial com hérnia encarcerada e outros tumores. Na suspeita de LSC, deve-se realizar exames de imagem, porém não há sinais radiológicos patognomônicos. LSC pode ser dos tipos: bem diferenciado, mixoide, células redondas, pleomórfico e desdiferenciado, sendo o primeiro subtipo o mais frequentemente descrito. O LSC comporta-se de forma mais agressiva, com taxas de recorrência local e potencial metastático mais alto quando comparado ao tipo bem diferenciado. O tratamento de primeira linha recomendado é a orquiectomia radical inguinal e excisão ampla com ligação alta do cordão espermático, com objetivo de alcançar margens negativas, fator fundamental para maior sobrevida livre de doença. Em casos de margens positivas, segunda ressecção estará indicada.

Comentários finais: Dissecção linfonodal deve ser reservada para quando houver envolvimento linfático identificado em exames de imagem. É controverso o papel da radioterapia e quimioterapia adjuvante no manejo do LSC. A recidiva local é o principal problema e deve ser realizado seguimento regular de longo prazo.

Palavras Chave

lipossarcoma; cordão espermático; neoplasias testiculares

Área

Câncer de Testículo

Instituições

Hospital Regional do Oeste - Santa Catarina - Brasil, Universidade Comunitária Regional de Chapecó - Santa Catarina - Brasil

Autores

Bruno Vinicius Duarte Neves, Marcelo Zeni, Lia Regina de Sampaio, Angela Brustolin, Andressa Patrícia Gaiardo, Gerso Menegassi, Vanessa Dias, Filipe Tognet, Guilherme Humberto Schmidt Probst