Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RELATO DE CASO: NEOPLASIA TESTICULAR NAO SEMINOMA COM METASTASE PULMONAR

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

APRESENTAÇÃO DO CASO: C.C.T.S, 32 anos, masculino, 69 kg, 174 cm, ex-etilista e tabagista, portador do vírus HIV desde 2005 em uso de TARV. Apresenta dor torácica, tosse, hemoptise e dispneia com necessidade de oxigenioterapia contínua. RX de tórax: múltiplas lesões pulmonares Biópsia guiada das lesões evidenciando coriocarcinoma. Exame físico: Mal Estado Geral, crepitações em base, dor à palpação em hipocôndrio direito. Inguinoescrotal: massa em polo superior de testículo direito cerca de 1,5 cm de diâmetro, não doloroso, aderida. Ausência de outras lesões em bolsa escrotal e pênis. Exames laboratoriais/ imagem: DHL: 847; Beta-HCG > 225000. TC de tórax: Múltiplas lesões nodulares. Após contraste: halo em vidro fosco que podem estar relacionadas a hemorragia. Diagnosticado com provável neoplasia testicular não seminomatosa EC III- S3 (risco alto) TxNxM1. Encaminhado para Urologia para aval de orquiectomia e prescrito EP, Bleomicina não disponível e o quadro pulmonar poderia ser acentuado com uso de tal medicação. No retorno para ciclo 2, paciente apresenta melhora clínica expressiva e sem uso de oxigenioterapia. DISCUSSÃO: O câncer de testículo é responsável por 1% das neoplasias em homens, jovens, entre os 15 e 35 anos. São classificados em seminomatosos e não seminomatosos, o último, acomete pacientes de 18 e 30 anos, 55% dos casos. Incluem os teratocarcinomas, teratomas, tumor do seio endodérmico, carcinoma embrionário e coriocarcinomas. Os fatores de risco associados a patologia são história familiar positiva, criptorquidismo, fatores genéticos intrínsecos e perinatais. Cerca de 15% apresentam metástases à distância, acomete o mediastino e pulmão, principalmente em coriocarcinomas, que são mais comuns e agressivos dos tumores não seminonas. Cujo sintomas iniciais são desconforto respiratório, dores abdominais, lombares. Os tumores germinativos manifestam-se com aumento do volume, não doloroso do testículo. O estadiamento clínico é realizado com TC de tórax e abdome, Beta-HCG, Alfa-fetoproteina e Desidrogensase láctica. O tratamento é orquiectomia radical via inguinal e no estágio clínico III é recomendada a quimioterapia citotóxica com BEP 3 ciclos ou EP 4 ciclos, a cada 21 dias. COMENTÁRIOS FINAIS: Os tumores germinativos do testículo apresentam grande possibilidade de cura, inclusive no cenário metastático e o tratamento proposto tem chances de erradicação da neoplasia.

Palavras Chave

CORIOCARCINOMA; ALFA FETOPROTEINA; NEOPLASIA TESTICULAR, NÃO SEMINOMA

Área

Câncer de Testículo

Instituições

FACULDADE ALFREDO NASSER - UNIFAN - Goias - Brasil

Autores

ANA CAROLINA DA COSTA FERREIRA, FERNANDO SANTOS DE AZEVEDO, ANANDA MARIA FERREIRA DA COSTA, MARIA LUÍZA FERREIRA DA COSTA, VICTOR DOMINGOS LISITA ROSA, ELISEU JOSÉ FLEURY TAVEIRA