Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A RELAÇAO ENTRE CRIPTORQUIDIA E CANCER DE TESTICULO

Introdução, Material, Método, Resultados, Discussão e Conclusões

INTRODUÇÃO: A cripitorquidia é uma anomalia congênita caracterizada pela retenção do testículo em algum lugar na descida do retroperitôneo à raiz do escroto. Sua incidência é maior em crianças nascidas prematuras, persistindo em apenas uma pequena parte dos acometidos após o primeiro ano de nascido, correspondendo a mesma incidência do adulto. Por sua vez, o câncer de testículo é a neoplasia mais comum entre os homens jovens (15 a 35 anos). Dentre os fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de testículo a criptorquidia, aumenta o risco em até 10 vezes, conforme estudos recentes. OBJETIVO: Entender a relação entre a criptorquidia e o câncer de testículo METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão de literatura utilizando as base de dados LILACS, PUBMED E BVS, por intermédio dos descritores “câncer de testículo", "criptorquidia", "neoplasia testicular", "criptorquidia e câncer". RESULTADOS: O criptorquidismo aumenta em até 10 vezes o risco da carcinogênese testicular. A orquidopexia não previne contra futuras doenças malígnas. É recomendada a orquiectomia. DISCUSSÃO: São duas as teorias que explicam a relação entre eles: teoria in útero que considera, como produtos da mesma formação genética, o testículo não-descido e a neoplasia testicular, e; a teoria da posição em que a má localização testicular predispõe a fatores ambientais, como mecanismos autoimunes e temperatura inadequada, sendo provável que ocorra a interação desses dois mecanismos na carcinogênese associada a criptorquidia. CONCLUSÃO: O risco do paciente com criptorquidia desenvolver um câncer de testículo é de 3 a 10 vezes maior que aqueles com os testículos normalmente descendente. Para o tratamento é recomendado a orquiectomia pós-puberdade e o acompanhamento de perto desses pacientes. REFERÊNCIAS: CAMPOS, E. Carmona et al. Criptorquidia y cáncer testicular. Actas Urológicas Españolas, v. 24, n. 1, p. 49-51, 2000.// DA CRUZ NETO, João Saraiva et al. Criptorquidia: uma revisão sistemática da literatura de 2002 a 2012. Cadernos de Cultura e Ciência, v. 12, n. 2, p. 44-65, 2013.//KOIFMAN, Sergio; HATAGIMA, Ana. Exposição aos agrotóxicos e câncer ambiental. É veneno ou é remédio, p. 75-99, 2003

Palavras Chave

Cancer de testículo, criptorquidia, criptorquidismo, criptorquidia e câncer

Área

Câncer de Testículo

Instituições

UEPA - Para - Brasil

Autores

Luis Carlos Tapajós RODRIGUES