Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SARCOMA DE KAPOSI DE PENIS EM PACIENTES SOROPOSITIVOS PARA O HERPEVIRUS HUMANO 8 (HHV-8)

Resumo

Introdução: O Sarcoma de Kaposi (SK) caracteriza-se por um tumor angioproliferativo com evolução da sua forma clássica de acometimento na região peniana. Acomete em torno de 5% dos sarcomas penianos e tem uma apresentação clínica com pápulas, nódulos e lesões verruciformes, podendo ocorrer por coinfecção com o Herpevírus Humano 8 (HHV-8).

Objetivos: Analisar as faixas etárias de prevalência do SK em pacientes soropositios para HHV-8 e os principais fatores de risco associados, além de identificar os locais mais frequentemente envolvidos na estrutura peniana.

Métodos: Foram selecionados 30 estudos (n=30), entre os anos 1996 e 2018, utilizando as bases de dados Pubmed e Scielo, que abordaram dados de meta-análise e relatos de casos em pacientes com SK de pênis. Desse total, incluiram-se aqueles no qual relataram a presença da forma clássica do SK e o perfil dos pacientes, incluindo a idade, as características da lesão e a confirmação da soropositividade para HHV-8 (n=19). Os descritores utilizados foram "Kaposi's sarcoma" e "sarcoma HHV-8".

Resultados: Foram encontrados, na literatura inglesa, 19 casos de SK de pênis. A idade dos pacientes variou de 43 a 67 anos, com média de 56,3 anos. A maioria desses pacientes apresentou resultados positivos na sorologia para o HHV-8, utilizando a técnica de coloração de células fusiformes para anticorpos anti-Fator VIII e anti-CD34, corroborando as evidências demonstradas nas bibliografias. Em relação aos fatores de risco, a soropositividade do HHV-8 é atribuída, segundo pesquisas epidemiológias, aos indivíduos homossexuais que mantém atividade sexual sem o uso de preservativos. No entanto, de acordo com os presentes estudos analisados, foram omitidos, ou não encontrados, dados sobre a orientação sexual dos pacientes e evidências de relações sexuais de risco. As lesões nos diferentes estudos apresentaram-se de morfologia variáveis e a mais comum encontrada foi uma lesão nodular avermelhada, única ou múltipla, e, por vezes, ulcerada. Dentre os locais das lesões nos pacientes, os mais comuns foram a glande (n=8), seguido do sulco coronal (n=7), prepúcio (n=3), escroto (n=1) e frênulo (n=1).

Conclusão: As lesões penianas de aparecimento recente, principalmente na região da glande, em pacientes imunocompetentes com idade entre a quarta e sexta década de vida devem ser investigadas, mesmo na ausência de fatores de risco para infecções sexualmente transmissíveis, tendo o SK de pênis como principal hipótese diagnóstica.

Palavras Chave

sarcoma de Kaposi; neoplasias penianas; epidemiologia

Área

Tumores Raros

Instituições

UNIPLAC - Universidade do Planalto Catarinense - Santa Catarina - Brasil

Autores

NICHOLLAS DE LORENZI CARVALHO, CLAUDIA MARCHEZAN, GABRIELLE FERREIRA, TALITA DE OLIVEIRA FELIPPE