Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇÃO DA ANTIBIOTICOPROFILAXIA EM BIÓPSIA PROSTÁTICA NO HOSPITAL GERAL DE FORTALEZA

Resumo

Introdução: O câncer de próstata é a neoplasia não cutânea mais comum no homem. Apesar de estudos recentes mostrarem que a biópsia perineal está associada a uma taxa de complicações infecciosas menor, a via transretal continua sendo a mais utilizada no mundo, sendo o procedimento padrão no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). A antibioticoprofilaxia é recomendada para todos os pacientes antes da biópsia. As quinolonas são os antibióticos classicamente mais utilizados, porém a incidência de prostatite tem-se elevado nos últimos anos, pelo aumento da prevalência de E coli resistente as quinolonas. A fosfomicina trometamol demonstrou ser uma opção válida.
Objetivos: Avaliar a antibioticoterapia utilizada no HGF para profilaxia de prostatite pós biópsia transretal, além das outras complicações relacionadas à esse procedimento. Avaliamos a eficácia e segurança da fosfomicina como alternativa às quinolonas neste cenário. Avaliamos também possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de prostatite pós-biópsia e expomos o perfil epidemiológico dos pacientes submetidos a biópsia de próstata em nosso serviço.
Métodos: Coorte prospectiva com pacientes submetidos a biópsia de próstata no período de março a dezembro/2019 no HGF. Os pacientes foram selecionados para realizar antibioticoprofilaxia com levofloxacina ou fosfomicina. A levofloxacina foi administrada, via oral, na dose de 500 mg, uma vez ao dia, durante três dias consecutivos, sendo a primeira dose na manhã do dia da biópsia. A fosfomicina foi administrada em uma dose de 3g na noite anterior da biópsia e repetida após 12 horas.
Resultados: 19 pacientes (56,7%) referiram disúria após a biópsia. Hematúria foi relatada por 21 (63,6%) pacientes. Seis (18,2%) apresentaram hematospermia e tivemos 3 casos de retenção urinária aguda. Não tivemos nenhum caso de prostatite pós-biópsia no nosso estudo. Nenhum paciente precisou de internação hospitalar devido a complicações das biópsias.
Conclusão: Tanto a levofloxacina quanto a fosfomicina se mostraram adequadas para profilaxia da prostatite pós biópsia para esta amostra de pacientes. Realização de cultura de urina antes da biópsia prostática parece ser um fator importante para nossa reduzida taxa de complicações infecciosas após biópsia transretal de próstata. Uma continuação do projeto, com aumento da amostra de pacientes é necessário para uma avaliação comparativa mais detalhada entre esses antibióticos.

Palavras Chave

câncer de próstata; biópsia; transretal; fosfomicina; prostatite; quinolonas

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Hospital Geral de Fortaleza - Ceará - Brasil

Autores

LUCAS DE ARAUJO AQUINO, TADEU JOSE FONTENELE LEITE CAMPOS, ANDRE COSTA MATOS LIMA, LUCAS DE OLIVEIRA LIMA, FRANCISCO EUGENIO VASCONCELOS FILHO, PLINIO HENRIQUE FERNANDES LEANDRO, DAVI DE ALMEIDA DIAS, MARCOS FLACIO HOLANDA ROCHA