Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EXTENSÃO DA LINFADENECTOMIA PÉLVICA E RESULTADOS PÓS-OPERATÓRIOS NO CÂNCER DE PRÓSTATA pN0

Resumo

Introdução: A linfadenectomia pélvica (LP) é uma etapa importante do tratamento cirúrgico de pacientes com câncer de próstata (CaP). Devido às limitações dos exames de imagem em predizer metástases linfonodais, a LP representa a principal modalidade para estadiamento linfonodal. A European Association of Urology recomenda realizar LP estendida em pacientes com CaP cujo risco de envolvimento linfonodal ultrapasse 5%, conforme nomograma de Briganti. Em contrapartida, maiores tempo cirúrgico e de internação, custos hospitalares, morbidade e risco de complicações pós-operatórias, principalmente linfocele, devem ser considerados.
Objetivos: O objetivo do presente estudo foi correlacionar extensão da linfadenectomia pélvica e resultados pós-operatórios no câncer de próstata estágio pN0, bem como descrever as características clínicas e patológicas dos pacientes.
Métodos: Este estudo foi realizado no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Através do Registro Hospitalar de Câncer, identificaram-se todos os pacientes diagnosticados com CaP atendidos no período entre janeiro 2017 e dezembro 2019. O número de linfonodos (LN) ressecados serviu como um indicador de extensão da linfadenectomia pélvica. A população foi dividida em dois grupos: grupo 1 teve menos de 10 LN e grupo 2 teve 10 ou mais LN, para os quais, foram comparados os resultados pós operatórios.
Resultados: Um total de 63 prostatectomias radicais foram realizadas, sendo 33 pacientes status pT2-3N0 na análise retrospectiva final. Considerando a população de 33 pacientes CaP pN0, as medianas idade e PSA foram, respectivamente, 68 anos (intervalo 54-79) e 8ng/dL (intervalo 2-50). Os achados histopatológicos pós-operatórios evidenciaram predomínio de doença restrita à próstata, score de Gleason 6, e margem cirúrgica positiva em 39% dos casos. Ao todo, a mediana e o intervalo de LN obtidos foram, respectivamente, 9 e 3-18. O Grupo 1 (n=18) teve mediana 8 e intervalo 3-9; e o grupo 2 (n=15) teve mediana 13 e intervalo 10-18. Não houve diferença de tempo de internação, taxa de transfusão sanguínea e complicações pós-operatórias entre os grupos.
Conclusão: Não houve diferença nos resultados pós-operatórios (tempo de internação hospitalar, taxa de transfusão sanguínea e complicações) de pacientes com câncer de próstata pN0 submetidos a linfadenectomia pélvica limitada (<10LN) ou estendida (>=10LN).

Palavras Chave

câncer de próstata; linfadenectomia, estendida, limitada, complicações

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Hospital Geral de Fortaleza - Ceará - Brasil

Autores

DAVI DE ALMEIDA DIAS, TADEU JOSE FONTENELE LEITE CAMPOS, LUCAS DE ARAUJO AQUINO, LUCAS DE OLIVEIRA LIMA, FRANCISCO EUGÊNIO VASCONCELOS FILHO, PLINIO HENRIQUE FERNANDES LEANDRO, MANUELA GOMES DA COSTA CAXILE, MARCOS FLAVIO HOLANDA ROCHA