Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CANCER DE PENIS NO BRASIL: ESTADIAMENTO NO MOMENTO DO DIAGNOSTICO (2015-2019)

Resumo

Introdução: O câncer de pênis (CP) é considerado uma doença rara e retrata 2% dos possíveis tipos de câncer em homens no Brasil. Essa neoplasia associa-se a pessoas com baixo nível social e possui estreita relação com maus hábitos de higiene e/ou indivíduos não circuncidados, refletindo um fator de risco para a fimose e, por vezes, para o papilomavírus humano. O CP tem relação com o estigma, falta de informação sobre o tratamento, necessidade precoce do diagnóstico e demora na busca do tratamento. Objetivo: Descrever as relações entre o estadiamento do CP no momento do diagnóstico e sua morbimortalidade no Brasil, entre 2015 e 2019. Metodologia: O estudo retrospectivo descritivo utilizou dados secundários do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. A população compreendeu pacientes do sexo masculino internados com CP durante 2015 a 2019. Foi considerada a Classificação Internacional de Doenças (CID-10) para inclusão da categoria C60 (Neoplasia Maligna de Pênis). As variáveis utilizadas foram: Unidades Federativas, ano de ocorrência, faixa etária e estadiamento. O Microsoft Office Excel 2019 foi utilizado para cálculo de prevalência e morbimortalidade. Resultados: Entre 2015 e 2019, foram notificados 2610 casos (prevalência de 1,24 por 100 mil habitantes), com um total de 2166 óbitos. A maior morbidade foi apontada no estado de São Paulo (16,5%), seguido por Minas Gerais (11,5%). Quanto ao número de óbitos, São Paulo e a Bahia registaram os maiores indicadores, com 15,46% e 9,83% do total, respectivamente. A taxa de mortalidade nesse período cresceu progressivamente de 0,19 para 0,21 por 100 mil habitantes. Durante o momento do diagnóstico, a maior parte dos casos apresentou CP em grau 4 (13,4%), sendo a Bahia o principal representante desse grupo (14,28%). A faixa etária de 65-69 anos destacou-se com o registro de casos mais avançados (grau 4), notificando 12,83%. Este grupo também registrou maior morbidade (12.83%) e mortalidade (15.46%). Conclusão: Através deste estudo, pôde-se sugerir que há um atraso na busca por atendimento médico em pacientes acometidos por CP, uma vez que 13,4% dos casos registrados em todo o país foram estadiados em grau 4 no momento do diagnóstico. A Bahia, que representou 14,28% deste cenário, ocupou também o 2ª lugar em número de mortes por este câncer (9,83% entre os estados brasileiros). Assim, o diagnóstico precoce do CP apresenta fundamental importância para a sua melhor evolução e prognóstico.

Palavras Chave

Câncer de Pênis, Estadiamento, Diagnóstico

Área

Tumores Raros

Instituições

Centro Universitário de Tecnologia e Ciências (UniFTC) - Bahia - Brasil, Universidade Salvador (UNIFACS) - Bahia - Brasil

Autores

CAROLINA SANTOS GONDIM NASCIMENTO, MÁRCIO JAMERSON PINHEIRO LUCIO, LAÍS CRISTINA PEREIRA DA SILVA, SARA OTONI BLANC, JULLYANA FERREIRA BRASIL, GABRIELA FERREIRA CAMPELO, LARISSA COSTA MONTEIRO, ISABELLE MARIA DOS ANJOS CHAVES, VANESSA ARGOLO TORRES, VANESSA BRITO RAMOS