Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE REGIONAL E ETARIA DA MORTALIDADE POR CANCER DE PROSTATA NO BRASIL EM 2019

Resumo

INTRODUÇÃO:
Dentre os tumores malignos, o câncer de próstata tem a segunda maior incidência e quinta maior mortalidade em homens. Há grande variação geográfica de sua incidência (maiores taxas em países desenvolvidos) e letalidade (maior em países com menor desenvolvimento).
OBJETIVOS:
Analisar taxas regionais e etárias de mortalidade por câncer de próstata na população masculina brasileira em 2019.
METODOLOGIA:
Estudo ecológico com dados coletados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Calcularam-se: das taxas de mortalidade (por 100 mil habitantes) totais e específicas para região e faixa etária (uni e biestratificadas) por câncer de próstata na população brasileira masculina em 2019; risco relativo (RR) das taxas regionais para as duas faixas etárias com maior mortalidade.
RESULTADOS:
Registraram-se 103881681 óbitos por câncer de próstata no Brasil em 2019 (mortalidade = 15,38/100000). Para a mortalidade sem correção etária, observou-se a maior taxa por 100 mil na região Sul (17,91), seguida pela região Nordeste (15,82). O Norte apresentou a menor taxa (9,64). Centro-Oeste e Sudeste apresentaram, respectivamente, 14,06 e 15,71.
As faixas etárias com maiores mortalidades (/100000) foram 60 a 79 anos (75,27) e 80 anos ou mais (468,83). Para as faixas etárias menor ou igual a 39 anos e 40 a 59 anos, essas taxas foram 0,02 e 2,68, respectivamente.
Quanto às mortalidades para as faixas etárias que mais concentraram óbitos (60 a 79 anos e 80 anos ou mais), observou-se que para ambas o Nordeste apresentou maior mortalidade por 100000 habitantes (com taxas de 86,55 e 595,23 para as referidos grupos etários, respectivamente), enquanto o Sudeste apresentou as menores taxas (69,79 e 396,72 respectivamente) e o Sul as segundas menores (73,89 e 472,00, respectivamente).
Para a faixa etária de 40 a 69 anos, observou-se RR entre as regiões com maior e menor mortalidade (Nordeste e Sudeste, respectivamente) de 1,24 (χ2 = 63,44, p < 0,001). Já para a segunda observou-se um RR de 1,50 (χ2 = 201,80, p < 0,001) entre as mesmas regiões.
CONCLUSÕES:
Apesar da mortalidade por câncer de próstata não corrigida para idade ter sido maior na região Sul, para ambas as faixas etárias com maiores números/taxas de óbito, o Nordeste apresentou maior mortalidade, enquanto o Sul ocupou a 4ª posição. Ademais, o Nordeste apresenta, com significância estatística, maior RR para óbito por câncer de próstata nestas faixas etárias.

Palavras Chave

câncer de próstata; mortaldiade; epidemiologia

Área

Câncer de Próstata Metastático

Instituições

Universidade Federal da Bahia - Bahia - Brasil

Autores

ELENA CAIRES SILVEIRA