Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DIAGNOSTICOS DE CANCER DE PROSTATA SEM TRATAMENTO NA POPULAÇAO BRASILEIRA: ESTUDO EPIDEMIOLOGICO

Resumo

Introdução: O câncer de próstata, em geral, possui curso indolente, sendo diagnosticado devido ao rastreio da população, o que resulta no tratamento de uma doença que poderia não se manifestar clinicamente de forma significativa. O “overdiagnosis” e “overtreatment” podem estar relacionados a exposição às complicações secundárias dos procedimentos realizados. Além disso, existem pacientes que descontinuam seus tratamentos, seja por progressão de doença, complicações, abandono ou até, recusara da terapia. Objetivo: Analisar os casos de câncer de próstata diagnosticados entre 2015-2019 na população brasileira, mas que não foram tratados ou não deram continuidade ao tratamento. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, ecológico, de série temporal. Os dados foram obtidos do Instituto Nacional de Câncer (INCA), por meio do Sistema de Registro Hospitalar de Câncer, referentes aos tabuladores hospitalares pelo motivo de não tratamento de pacientes que receberam diagnóstico de câncer de próstata entre os anos de 2015-2019. As variáveis utilizadas foram: “número de casos por ano do diagnóstico segundo razão para não tratar”; “diagnóstico e tratamento anterior: com diagnostico sem tratamento”, além de “número de casos por razão para não tratar segundo história familiar de câncer”. Resultados: Registrados um total de 86.987 de diagnósticos de câncer de próstata no Brasil. No período avaliado, houve um média de 17.397 casos/ano. A maior quantidade dos diagnósticos sem tratamento foi constada em “doença avançada” e “falta de condições clínicas ou outras”. Em 18,65% dos casos, os pacientes tinham histórico familiar de câncer. Chama atenção a quantidade de pacientes sem informações regularizadas, visto que, representa um total de 3104 diagnósticos não registrados. Conclusão: De acordo INCA, em 2020 houve um total de 15.983 casos de câncer de próstata. Isso demonstra que quando comparado ao total de indivíduos não tratados no mesmo período (5123), este representa uma taxa expressiva. Por isso, a investigação precoce, com avaliações de risco por condições hereditárias e fatores de risco, proporcionariam redução de custos em saúde e gastos desnecessários/inadequados, cursando com menor potencial de recusa a terapia, e atraindo medidas públicas de incentivo ao tratamento continuado, assim como maior estreitamento médico-paciente ao seguimento terapêutico.

Palavras Chave

Palavras-chave: Neoplasia de próstata; Tratamento; Diagnóstico.

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) - Bahia - Brasil

Autores

LARA TEIXEIRA OLIVEIRA, MARCELA PIMENTEL LIMA MILITÃO, LOUISE GRAMACHO LOPES, FERNANDA MACÊDO LIMA, CAIO BORGES DIAS, ROBERTO MALTEZ KEPLER AMARAL, ANA PAULA LACERDA LUDIVICE, BRUNO BOTELHO NASCIMENTO, LEONARDO GASPAR SANT'ANA CORREIA , RENATA BALTAZAR SILVEIRA ARAÚJO