Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

MORTALIDADE POR CANCER DE BEXIGA NO BRASIL DE 2009 A 2019: TENDENCIA E ASSOCIAÇAO COM SEXO E IDADE

Resumo

INTRODUÇÃO:
O câncer de bexiga responde por cerca de 3% dos diagnósticos de câncer e 2,1 % dos óbitos por câncer globalmente, e está associado a significativa morbimortalidade, bem como altos custos em saúde. Nos últimos anos, tem sido documentada uma tendência de queda em mortalidade por câncer de bexiga em países desenvolvidos, mas não em países em desenvolvimento.
OBJETIVOS:
Considerando o exposto, este trabalho tem como objetivo analisar a tendência da mortalidade por câncer de bexiga no Brasil de 2009 a 2019, bem como a associação entre as taxas médias no período e sexo e faixa etária.
METODOLOGIA:
Estudo ecológico com dados secundários do Sistema de Informação sobre Mortalidade, abarcando todas as unidades federativas do Brasil no período de 2009 a 2019. Foram calculadas as taxas de mortalidade por câncer de bexiga para cada ano, e analisada sua tendência através de regressão linear simples. Procedeu-se também cálculo das mortalidades médias específicas para sexo e idade no período, e a análise univariada para ambos.
RESULTADOS:
De 2009 a 2019, foi registrado um total de x óbitos por câncer de bexiga no Brasil, perfazendo uma mortalidade média de 1,86 por 100 mil habitantes. No primeiro ano da série temporal essa taxa foi de, enquanto no último foi de.
No período, foi observada uma tendência ascendente para a mortalidade por câncer de bexiga, representada pela regressão 0.063x + 1.852 (R² ajustado = 0.973, F = 379.2, p < 0.001).
As mortalidades médias (/100000) específicas para sexo masculino e feminino foram, respectivamente, 2,59 e 1,14 (RR = 2,27, p < 0,001). Em consonância com a já documentada mortalidade crescente com a idade para a doença, a faixa etária com maior taxa foi 80 anos ou mais (41,20) e a menor foi abaixo de 40 anos (0,03), sendo observado um RR entre ambas de 1595 (p < 0,001).
CONCLUSÃO:
Foi observada, com significância estatística, uma tendência ascendente para a mortalidade por câncer de bexiga no Brasil de 2009 e 2019, bem como uma associação positiva com sexo masculino e idade avançada. Destarte, o Brasil exibe um perfil temporal para essa taxa semelhante ao de outras nações em desenvolvimento, o qual é oposto ao que tem sido exibido por nações desenvolvidas.

Palavras Chave

câncer de bexiga; mortalidade; epidemiologia

Área

Câncer Bexiga

Instituições

UFBA - Bahia - Brasil

Autores

ELENA CAIRES SILVEIRA