Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RELAÇAO ENTRE FATORES EXTRINSECOS E CANCER DE BEXIGA: UMA REVISAO DE LITERATURA

Resumo

INTRODUÇÃO: o câncer de bexiga é um dos cânceres mais diagnosticados no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INEP), o câncer de bexiga é o sétimo mais comum em homens com 7.590 casos novos diagnosticados no ano de 2020 e o décimo quarto mais comum em mulheres com 3.050 casos novos diagnosticados em 2020. É sabido que diversos fatores influenciam no aparecimento desse câncer na população, sendo a grande maioria prevenível. Dessa forma, é importante a realização de estudos que abordam a temática para um maior conhecimento dos profissionais de saúde e consequentemente maior abordagem na população afim de reduzir o número de casos dessa doença. OBJETIVO: o estudo tem como objetivo orientar sobre os principais fatores de risco extrínsecos relacionados ao câncer de bexiga. MÉTODOS: utilização das plataformas Scielo e Pubmed para a pesquisa de artigos, a fim de fazer uma revisão de literatura sobre o assunto. RESULTADOS: destaca-se, apesar de ser fator intrínseco, a maior prevalência do sexo masculino em relação às mulheres quanto ao desenvolvimento do câncer de bexiga. Nos fatores extrínsecos, o tabagismo é o responsável por cerca de 40% dos cânceres de bexiga, associado com o hábito regular de fumar. Fatores ambientais, como ocupação ocupam o segundo lugar dos fatores extrínsecos com uma incidência de 20%. História médica, infecções urinárias de repetição, algumas medicações, radioterapia em doses cumulativas também possuem suscetibilidade ao desenvolvimento do câncer de bexiga. Foi observado que o carcinoma espinocelular da bexiga urinária, 4% de todos os cânceres de bexiga, tem forte relação com infecções provocadas por parasitas, quando há casos de exposição à esquistossomose. CONCLUSÃO: destaca-se o tabagismo como o principal fator extrínseco relacionado ao câncer de bexiga, sendo seguido por fatores ambientais e medicamentosos. Dessa forma, entende-se que para prevenir o câncer de bexiga é imprescindível que haja suspensão do tabagismo, já que esse fator corresponde a aproximadamente a metade dos casos desse câncer, assim, torna-se importante a presença de campanhas de combate ao tabagismo. Além disso, se tratando da prevenção do câncer de bexiga é relevante que o paciente tenha uma exposição limitada a substâncias químicas e a certos tipos de medicações.

Palavras Chave

fatores extrínsecos, neoplasia, bexiga

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

ALANA ZANELLA, JOSÉ VENÂNCIO SALA DA SILVA, EDUARDA VANZING DA SILVA, PEDRO FERREIRA AZEVEDO, HELLEN DE FREITAS MONTEIRO, PAULA SIMINOVICH, BRUNA ROSSETTO, YASMIN PODLASINSKI DA SILVA, ALICE WICHRESTIUK D'ARISBO, EDUARDO BELTRAME MARTINI