Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PANORAMA EPIDEMIOLOGICO DE INTERNAÇOES POR NEOPLASIAS BENIGNAS DOS ORGAOS URINARIOS NO BRASIL NOS ULTIMOS 10 ANOS

Resumo

Introdução: Os órgãos urinários, que correspondem aos rins, ureteres, bexiga e uretra, estão sujeitos a sofrer mutações com o crescimento desordenado. Tal fenômeno pode resultar em hiperplasia e outras doenças benignas, bem como em câncer, sendo o carcinoma de bexiga o local mais comum. Objetivos: Analisar o panorama epidemiológico das internações por neoplasias benignas dos órgãos urinários no Brasil nos últimos 10 anos a fim de verificar como a doença se comporta em nosso país. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, realizado com dados obtidos a partir do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS), disponibilizados pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. A análise foi realizada em abril de 2021, com base nas internações notificadas ao SIH/SUS por neoplasia benigna dos órgãos urinários no Brasil por região e por sexo.
Resultados: Foram notificadas 5.525 internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por neoplasia benigna dos órgãos urinários nas cinco regiões do país no período de 2010 a 2020. A região que apresentou maior número foi a Sudeste, com 2.357 internações (42,6%) e a região com menor número foi a Centro-Oeste, com 271 internações (4,90%). No período analisado,o ano com maior número absoluto de internações foi 2010 e o ano com menor número de internações foi 2020. Quanto ao número por sexo, observou-se que houve predomínio do sexo masculino, com 3.104 internações ( 54 %). A taxa de mortalidade por neoplasias benignas do trato urinário no período analisado foi de 1,56, sendo as regiões com maior e menor taxa de mortalidade, a Centro-Oeste (2,58) e Norte (0,96) respectivamente. Além de ter sido o ano com menor número de internações, 2020 foi o ano com maior taxa de mortalidade (3,5).
Conclusões: A maior prevalência de internações no sexo masculino pode indicar menor possibilidade de diagnóstico precoce devivo a maior demora para procurar o serviço de saúde. Assim, os dados podem reforçar a importância da elaboração de uma linha de cuidado e prevenção específica para o sexo masculino. Além disso, notou-se que o no ano de 2020, apesar da menor taxa de internação, a mortalidade por neoplasia benigna de vias urinárias foi maior, fato que pode estar relacionado a dificuldade de acesso à saúde devido a pandemia do vírus SARS-COV-2.

Palavras Chave

epidemiologia; internações; neoplasia benigna

Área

Câncer Bexiga

Instituições

ULBRA - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

CLARA BARTH DOS SANTOS MAGALHAES, REBECA DELATORRE FONSECA, SABRINA NAVROSKI, CAROLINA BOHN FACCIO, GABRIELA MUGNOL RIZZATTI