Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SITUAÇAO ATUAL DO ESTUDO DE COORTE EM VIGILANCIA ATIVA PARA CANCER DE PROSTATA DO INSTITUTO NACIONAL DE CANCER JOSE DE ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA)

Resumo

Introdução: A estratégia de Vigilância Ativa (VA) tem ganho grande suporte pela literatura medica, com diversas coortes de pacientes atingindo um seguimento de longo prazo com excelentes resultados oncológicos, sobretudo em tumores de baixo e muito baixo risco. O INCA, com o advento do Centro Diagnostico de Câncer de Próstata, criou um ambulatório especifico e iniciou estudo de coorte para esse grupo de pacientes.
Objetivos: Sistematizar e uniformizar o cuidado aos pacientes em VA no INCA, descrever os resultados oncológicos dos pacientes recrutados para a coorte prospectiva de VA, identificar potenciais limitadores para o emprego dessa estratégia no Brasil.
Critérios de Inclusão: Homens entre 40 e 75 anos com expectativa de vida >10 anos, diagnóstico histológico de adenocarcinoma da próstata obtido por biopsia com no mínimo 12 fragmentos, ausência de qualquer tratamento prévio para câncer de próstata, PSA inicial ≤ 10 ng/ml, estádio clinico ≤ T2a, Gleason score = 6 (3+3), ISUP1, densidade do PSA <0,15 ng-ml, pacientes potencialmente aptos clinicamente para tratamento radical, PS 0 ou 1. Todos os casos incluídos foram previamente discutidos em reunião do Serviço de Urologia.
Seguimento: Através de dosagens periódicas de PSA, ressonância multiparametrica (RM) de próstata bianual, re-biopsia de próstata confirmatória e após 3 anos, além de exame digital da próstata. Em casos de lesões PIRADS 3 a 5 na , PSA > 10, elevação de PSA > 1,0ng-ml-ano, surgimento de lesão palpável no exame digital, foi indicada re-biopsia. Pacientes eram retirados da coorte quando manifestavam essa vontade, ou por mudança de grau histológico, com surgimento de padrão de Gleason 4 (ISUP ≥ 2).
Resultados: Ate abril de 2021 foram selecionados 152 pacientes com critérios para participar da coorte. Destes, 13 foram excluídos durante o primeiro ano de seguimento, após RM e re-biopsia confirmatória, com surgimento de padrão de Gleason primário ou secundário 4. Destes 13 pacientes, 2 foram submetidos a radioterapia e os outros 11 foram submetidos a cirurgia, ou estão em pré-operatório. Não houve nenhuma morte neste grupo e nem progressão de doença. Nos 139 pacientes restantes, com acompanhamento médio de 22,6 meses, apenas 1 paciente deixou a coorte, por re-biopsia com Gleason 7, aos 60 meses de acompanhamento, sendo submetido a tratamento cirúrgico robótico com êxito. A idade media dos pacientes ao serem incluídos na coorte foi de 64,7 anos, variando de 41 a 75 anos. Nenhum paciente da coorte apresentou progressão de doença e não houveram óbitos.
Conclusão: Os critérios de inclusão utilizados parecem adequados para selecionar os pacientes que podem se beneficiar da VA, apesar do tempo de estudo ainda recente para avaliar os desfechos oncológicos com segurança. A adesão dos pacientes ao protocolo vem se mostrando satisfatória, sem abandonos no período.

Palavras Chave

vigilância ativa, câncer de próstata

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Instituto Nacional de Cancer - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

FRANZ CAMPOS, ALEXANDER DIAS, VICTOR HUGO SENRA VICTOR, FELIPE LOTT