Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE EPIDEMIOLOGICA DE NEOPLASIA MALIGNA DE PROSTATA NA ULTIMA DECADA NO BRASIL

Resumo

INTRODUÇÃO: O câncer de próstata é o câncer não cutâneo mais incidente entre os homens, e o principal fator de risco envolvido é a idade avançada. Ele pode crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A maioria, porém, cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.
OBJETIVOS: Analisar epidemiologicamente a incidência de internações e óbitos por neoplasia maligna de próstata entre janeiro de 2010 e dezembro de 2020 no Brasil, bem como descrever as características desses pacientes.
MÉTODOS: As informações presentes no trabalho para análise epidemiológica foram retiradas do Sistema de Internação Hospitalar e de Mortalidade do Departamento de Informática do SUS (Datasus).
RESULTADOS: No período analisado, ocorreram 311.684 internações por neoplasia maligna de próstata no Brasil, sendo a região sudeste a de maior incidência, com 52,66% do total. Em relação à faixa etária, os idosos foram os mais acometidos por essa patologia, somando 261.248 internações, com a faixa etária de 65 a 69 anos correspondendo a 25,49% delas. No que se refere à raça, a branca foi a mais atingida, com 119.104 internações, seguida da parda, com 109.539. Ainda, constatou-se que 28.350 pessoas evoluíram para óbito, sendo os pacientes com idade igual ou superior a 80 anos os mais afetados, o que corresponde a faixa etária com maior taxa de mortalidade, de 20,50. A região sudeste liderou novamente com 14.533 óbitos, sendo 51,26% do total. Apesar disso, a região norte tem a taxa de mortalidade mais elevada, de 13,24, sendo acima da média nacional, que é de 9,10. No que diz respeito às despesas, o valor total gasto foi de R$ 836.987.562,35, ficando evidente que é muito custoso para o país.
CONCLUSÕES: O câncer de próstata é a neoplasia maligna mais prevalente entre os homens. As análises epidemiológicas demonstram que os idosos são os mais acometidos por essa patologia, sendo os pacientes com idade igual ou superior a 80 anos os que mais evoluem para óbito. Dessa forma, torna-se imprescindível analisar a epidemiologia do câncer de próstata a fim incentivar a busca pelo tratamento, e incentivar melhores formas de prevenção para a população. Além disso, é de extrema relevância incentivar as produções nesta área, devido à escassez de literaturas sobre a temática no país.

Palavras Chave

neoplasia maligna; epidemiologia; próstata.

Área

Câncer de Próstata Metastático

Instituições

Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

JULIANA RUAS VENTURA, HELLEN DE FREITAS MONTEIRO, CAROLINA LEAL BENDER, ALICE WICHRESTIUK D’ARISBO, BRUNA ROSSETTO, CAROLINE MARIA DE CASTILHOS VIEIRA, NATÁLIA ISAIA BROWNE MAIA, THAINARA VILLANI, DANIELA WITZ AQUINO, VANESSA MU MEKSRAITIS