Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INIBIDORES DA ANGIOGENESE COMO ESTRATEGIA TERAPEUTICA NO CARCINOMA RENAL DE CELULAS NAO CLARAS AVANÇADO: REVISAO INTEGRATIVA

Resumo

Introdução: O carcinoma de células renais pode ser dividido em células claras (75%) e não claras (25%). O carcinoma renal de células não claras apresenta variados subtipos – papilífero, cromófobo, de ductos coletores e medular. Estudos com inibidores da angiogênese vêm sendo realizados a fim de ampliar opções terapêuticas. Objetivos: Analisar o uso de inibidores da angiogênese como estratégia terapêutica no carcinoma renal de células não claras avançado. Métodos: Trata-se de uma Revisão Integrativa realizada através dos bancos de dados da BVS, SciElo e PubMed. Utilizou-se quatro artigos dos últimos cinco anos para a composição desta revisão. Resultados: O sunitinibe é escolha favorável baseada em evidência no tratamento dessa patologia. O pazopanibe como terapia isolada de primeira linha foi associado a taxa de resposta geral de 27% a 33% e taxa de controle da doença entre 81% e 89% – respostas parciais e completas com doença estável. A sobrevida livre de progressão e a sobrevida global variaram de 8,1 a 16,5 meses e de 17,3 a 31 meses, respectivamente. Cerca de 20% a 55% dos pacientes apresentou eventos adversos de graus 3 e 4. Os resultados são comparáveis aos obtidos com o sunitinibe. Um estudo avaliou a resposta terapêutica do cabozantinibe em 112 pacientes – 39 utilizaram o sunitinibe anteriormente. Em 11 meses, 47% (53) obteve estabilidade na doença como melhor resposta e cerca de 27% (30) alcançou resposta objetiva – 1 resposta completa e 29 parciais. A proporção de pacientes com benefício clínico foi 74%, embora 50 tenham falecido. Sobrevida livre de progressão e sobrevida global apresentaram valores respectivos de 7 e 12 meses. A ausência de falha no tratamento em 6 e 12 meses foi 55% e 27%, respectivamente. Eventos adversos de qualquer grau foram controláveis. Durante 32 meses, 44 pacientes foram avaliados para tratamento com axitinibe. A taxa livre de progressão em 24 semanas foi 45% e taxa de resposta objetiva próxima de 27%. Evidenciou-se sobrevida livre de progressão e sobrevida livre global de 6,6 meses e 18,9 meses, respectivamente. Raros eventos adversos de graus 3 e 4. Conclusões: Os inibidores da angiogênese vêm sendo analisados como opção terapêutica no carcinoma renal de células não claras avançado. Ainda há poucos estudos e pesquisas que englobem avaliações mais pormenorizadas com relação a esses medicamentos. É imprescindível a realização de ensaios clínicos maiores a fim de analisar adequadamente sua eficácia e tolerabilidade.

Palavras Chave

inibidores da angiogênese, carcinoma de células renais não claras, tratamento.

Área

Câncer de Rim

Instituições

Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ - Paraíba - Brasil

Autores

GABRIELA LYGIA ALBUQUERQUE VASCONCELOS DE CARVALHO, DAVI RODRIGUES DE SOUSA, MARIANA VIEIRA FALCÃO, YGOR FERNANDES DE ALBUQUERQUE, FILIPE PINTO DE OLIVEIRA, MAX MATIAS MARINHO JÚNIOR, MARIA EDUARDA PINHEIRO SANTOS, ISADORA PEREIRA BRITO