Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE COMPARATIVA DAS CARACTERISTICAS CLINICAS, ANATOMOPATOLOGICAS E SOBREVIDA DOS PACIENTES SUBMETIDOS A ORQUIECTOMIA RADICAL POR TUMOR TESTICULAR NO SERVIÇO DE UROLOGIA DO HOSPITAL MARIA APARECIDA PEDROSSIAN DE JANEIRO DE 2014 A DEZEMBRO DE 2019

Resumo

Introdução: O câncer de testículo, embora raro, é o tumor sólido mais comum em homens de 15 a 35 anos. Sua incidência vem aumentando gradativamente nos últimos anos. A ultrassonografia escrotal é o estudo de imagem inicial preferido. Se uma massa intratesticular sólida for descoberta, a orquiectomia radical é tanto diagnóstica quanto terapêutica. Dentre os tumores testiculares, mais de 95% são tumores de células germinativas, categorizados como seminoma e não seminoma principalmente pelas diferenças na história natural. O tratamento preconizado é cirúrgico, em alguns casos sendo indicado a realização de ciclos quimioterápicos. Avanços substanciais no tratamento feitos nas últimas décadas tornaram esta neoplasia a malignidade sólida com maior índice de cura, proporcionando um excelente prognóstico. Com a terapêutica eficaz, a taxa de sobrevida global em cinco anos é de 98%.
Objetivos: Avaliar as características clínicas, anatomopatológicas e a sobrevida dos pacientes com câncer de testículo submetidos a orquiectomia radical no serviço de urologia do hospital maria aparecida pedrossian no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2019.
Métodos: Estudo descritivo, retrospectivo, quantitativo envolvendo 24 pacientes submetidos à orquiectomia radical, pareados por idade, tipos histológicos e evolução clínica.
Resultados: Foram avaliados 24 pacientes submetidos à orquiectomia radical por tumor testicular. Constatou-se que houve predomínio da 2ª e 3ª décadas de vida, com pacientes entre 20-29 anos 9 (37,5%) casos e entre 30-39 anos 7 (29%) casos. Quanto aos tipos histológicos presentes no anatomopatológico foram encontrados quatro, distribuídos como: tumor de células germinativas seminomatoso em 10 casos (42%); tumor de células germinativas mistas em 9 (37,5%); tumor de células germinativas não seminomatoso 3 (12,5%) e tumor de estroma gonadal tipo tumor de células de sertoli em 2 (8%). Ponderando a evolução clínica dos pacientes, houve 15 (62,5%) pacientes submetidos à sessão de quimioterapia com cisplatina de base enquanto 9 (37,5%) realizaram apenas acompanhamento clínico, sem nenhum óbito.
Conclusões: Pode-se concluir que houve predominância da neoplasia pela 2ª e 3ª décadas de vida, com predomínio do tumor de células germinativas seminomatoso e com excelente evolução clínica dos pacientes. Entende-se que embora raro, esta comorbidade não pode ser menosprezada, visto que apresenta diagnóstico simples, com tratamento bem conceituado e com excelente prognóstico.

Palavras Chave

câncer de testículo; orquiectomia radical; tumor testicular

Área

Câncer de Testículo

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL - Mato Grosso do Sul - Brasil

Autores

CARLOS EGYDIO FERRI DO CARMO