Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

QUIMIOTERAPIA NEOADJUVANTE NO CARCINOMA UROTELIAL MUSCULO-INVASIVO: IMPACTO NA TAXA DE SOBREVIDA E REVISAO DE LITERATURA.

Resumo

Introdução: O carcinoma urotelial é a segunda neoplasia geniturinária mais comum no mundo. Os principais fatores de risco são agentes carcinogênicos ambientais, tais como o tabaco e as aminas aromáticas. Na apresentação clínica com invasão da camada muscular própria, o procedimento padrão é a cistectomia radical. A quimioterapia neoadjuvante à base de platina tem sido usada em pacientes clinicamente estáveis com doença localmente avançada como tratamento de primeira linha, de modo a viabilizar a cistectomia e oferecer melhor expectativa de sobrevida. Objetivo: Compreender o efeito da quimioterapia neoadjuvante na taxa de sobrevida no carcinoma urotelial músculo-invasivo. Métodos: Trata-se de uma revisão bibliográfica com busca nas bases de dados: PUBMED e SciELO. Foram usadas as palavras-chave: Neoplasia Urinária, Terapia Neoadjuvante, Cistectomia, segundo a Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Como critério de inclusão foram usados trabalhos publicados em língua portuguesa e inglesa em período compreendido nos últimos 5 anos. Como critério de exclusão: inadequação à temática do trabalho, artigos com repetição de conteúdo e a data de publicação anterior a 5 anos. Resultados: Coletou-se 11 artigos científicos, selecionou-se 5 artigos com casos envolvendo a temática. Os 6 artigos excluídos não correspondiam à temática principal do trabalho. Os trabalhos evidenciaram que a quimioterapia neoadjuvante à base de platina demonstrou melhorar os resultados de sobrevida em pacientes com câncer de bexiga músculo-invasivo. Segundo uma metanálise, um total de 3.285 pacientes foram incluídos em 15 ensaios clínicos randomizados, o qual apresentou benefício de sobrevida global com o uso da terapia à base de platina (hazard ratio [HR], 0,87); I.C. 95%. Outro estudo apresentou redução de 13% no risco de morte, benefício absoluto de 5% em 5 anos. A sobrevida global aumentou de 45% para 50% (razão de risco combinada [HR] 0,87); I.C. 95%. Conclusões: Portanto, o tratamento do carcinoma urotelial músculo invasivo por meio da cistectomia radical associado a quimioterapia neoadjuvante à base de platina apresenta efeitos significativos no manejo da neoplasia invasiva, permitindo um ganho de sobrevida global ao paciente.

Palavras Chave

Neoplasia Urinária, Terapia Neoadjuvante, Cistectomia.

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Famene - Paraíba - Brasil

Autores

FELIPE MATEUS MOURA MARTINS BERNARDINO, ARYANA MARQUES DA NÓBREGA AYRES, ANA BEATRIZ FONSECA MATIAS ROLIM, ELISÂNGELA MENDES DE SOUZA, IDALO VERNEY BENICIO SILVA DE SÁ, JULIANA ALMEIDA LIMA, JULYANA MARIA RAMALHO DE SOUSA, THIAGO SILVA DA COSTA