Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NUMERO DE OBITOS POR CANCER DE PENIS EM IDOSOS NA REGIAO SUDESTE DE 2015 A 2019

Resumo

INTRODUÇÃO: O câncer de pênis é uma neoplasia rara, que se manifesta como uma lesão ou tumoração, atingindo qualquer parte da genitália, além de apresentar gânglios inguinais, mau cheiro e sangramento, fatores que indicam o avanço da doença. Em países em desenvolvimento, como o Brasil, é possível identificar uma alta incidência, principalmente em indivíduos da terceira idade. Essa enfermidade apresenta-se como um grave problema de saúde pública pelas consequências de seu tratamento, muitas vezes mutilante, e por sua agressividade, que pode causar efeitos devastadores aos pacientes, como a perda do órgão e, consequentemente, a perda de autoestima e vida sexual e afetiva do paciente. OBJETIVOS: Expor o número de óbitos por câncer de pênis em idosos na região sudeste no período de 2015 a 2019. MÉTODOS: Refere-se a um estudo transversal descritivo embasado em quantitativo e retrospectivo, utilizando dados coletados no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), por meio do Instituto Nacional de Câncer (INCA), subcategoria mortalidade por câncer de pênis, brutas e ajustadas por idade, ressaltando os idosos, na região sudeste, entre 2015 e 2019. Variáveis analisadas: período, faixa etária e local. RESULTADOS: No quinquênio, obteve-se 731 casos de óbitos (n=100%), prevalecendo faixas etárias mais avançadas, a partir dos 50 anos, quando comparado com indivíduos de idade inferior. Diante disso, destaca-se a faixa etária dos 60 aos 69 anos com 178 casos (n=24,35%), sendo seguida por indivíduos de 70 a 79 anos com 152 óbitos (n=20,79%) e de 50 a 59 anos com 151 óbitos (n=20,65%). Além disso, observa-se um decréscimo na mortalidade em homens com mais de 80 anos, com apenas 110 casos (n=15,04%). Por fim, vale ressaltar que a somatória do número de casos dos 0 aos 49 anos é inferior que o número de óbitos da faixa etária mais acometida, sendo de apenas 140 casos (n=19,15%). CONCLUSÕES: Diante do exposto, é possível comprovar a alta incidência em idosos quando comparados os dados com indivíduos mais novos. Tal fato deve ocorrer devido às inúmeras alterações decorrentes do envelhecimento que engendram enfermidades.

Palavras Chave

Câncer. Idoso. Pênis.

Área

Tumores Raros

Instituições

Universidade de Gurupi (UNIRG) - Tocantins - Brasil, Universidade de Rio Verde (UniRV) - Aparecida de Goiânia - Goiás - Brasil

Autores

LETÍCIA CARVALHO DE OLIVEIRA, GEOVANA MACIEL LIMA, TIAGO CASTRO FERREIRA, ANDRÉ ABRANTES ROSIQUE