Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RELAÇAO ENTRE NEOPLASIA VESICAL E PACIENTES LUPICOS QUE USARAM CICLOFOSFAMIDA: REVISAO

Resumo

Introdução: O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica multissistêmica autoimune e de etiologia idiopática, marcada pela síntese de autoanticorpos. Uma via para o tratamento da doença é a administração de ciclofosfamida (CFM), um agente imunossupressor alquilante utilizado, para além da intervenção neoplásica, no manejo de diversas doenças reumatológicas. Essa medicação está relacionada a diversos efeitos adversos, sobretudo urinários e com destaque para o câncer urotelial de bexiga. Objetivos: Aprofundar a análise e investigação da crescente incidência de neoplasia vesical em pacientes portadores de LES que fazem uso de CFM como efeito adverso relacionado ao tratamento. Método: Trata-se de uma revisão literária qualitativa e integrativa, incluindo quatro artigos e estudos científicos nos idiomas português e inglês publicados de 2017 a 2021 pela SciELO, The Lancet, PubMed e Brazilian Journals of Development. Resultados: Apesar dos benefícios da terapia alquilante e de respostas eficazes de muitos pacientes portadores de LES, o imunossupressor também os expõe a uma série de efeitos adversos, com ênfase à susceptibilidade de complicações urinárias, como cistite hemorrágica e até câncer vesical de forma tardia. A CFM é responsável pela exposição e depósito de acroleína na bexiga, substância classificada como provavelmente carcinogênica para humanos (grupo 2A), segundo a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer, com base em evidências de carcinogenicidade, confirmando a toxicidade renal e urotelial deste fármaco. Ainda, após o uso de CFM, foi evidenciada regeneração defeituosa, aumentos paradoxais nos marcadores de proliferação e estresse de replicação excessivo do urotélio vesical, sinalizando um reparo anormal e endoreplicação patológica de células basais. Essas repercussões cancerígenas ocorrem, mais comumente, após anos de tratamento e os determinantes genéticos para resultados ruins são desconhecidos, ocasionando um aumento de prognósticos desfavoráveis e elevação da morbidade e mortalidade. Conclusões: Concluiu-se, então, que essencial importância deve ser dada as complicações do trato urinário a qualquer sinal de comprometimento no paciente portador de LES. Igualmente importante, é a implementação adequada do tratamento da CFM como terapia imunossupressora, que requer uma equipe multiprofissional experiente e unidade hospitalar capacitada, tendo em vista a redução dos riscos para o desenvolvimento de câncer vesical.

Palavras Chave

Neoplasias da Bexiga Urinária; Lúpus Eritematoso Sistêmico; Ciclofosfamida

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Centro Universitário de João Pessoa - Paraíba - Brasil

Autores

MARIANA VIEIRA FALCÃO, DAVI RODRIGUES DE SOUSA , MARIA EDUARDA PINHEIRO SANTOS, MAX MATIAS MARINHO JUNIOR, GABRIELA LYGIA ALBUQUERQUE VASCONCELOS DE CARVALHO , FELIPE PINTO DE OLIVEIRA, ISADORA PEREIRA BRITO, YGOR FERNANDES DE ALBUQUERQUE, LARA MARIA GUIMARÃES VASCONCELOS, EDUARDO PIMENTEL CARNEIRO BRAGA