Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NEOPLASIA MALIGNA DO RIM: ESTUDO RETROSPECTIVO CLINICO-EPIDEMIOLOGICO NO BRASIL

Resumo

Introdução: Responsável por 2% da carga cancerígena global, o câncer renal apresenta-se em diferentes conformações, cada qual com evidência histológica, curso clínico e resposta terapêutica específicas. É uma patologia em crescente incidência cujos preditores de risco incluem a história familiar, o tabagismo, a obesidade e a hipertensão arterial. Objetivo: O estudo visa demonstrar o perfil clínico-epidemiológico de pacientes diagnosticadas com câncer de rim no Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo, com coleta de dados secundária. Esta análise avaliou 39.188 pacientes, por meio da Integração dos Registros Hospitalares de Câncer (RHC), no banco de dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer). A população estudada foram todos os pacientes diagnosticados com câncer renal no Brasil entre 2009 a 2019. Os dados foram estratificados por sexo, faixa etária, tipos histológicos, história de tabagismo, história familiar e tratamento recebido. Resultados: Dessa forma, dos 39.188 pacientes, houve um predomínio no sexo masculino (59,5) em relação ao feminino (40,5%). A faixa etária mais acometida foi a de 60 a 69 anos (28%), seguida daqueles com 50 a 59 anos (25,4%) e menor incidência foi naqueles com idade inferior a 29 anos (9,7%). Dentre os tipos histológicos encontrados, os mais prevalentes foram carcinoma de células renais com 14.492 casos (36,98%), adenocarcinoma de células claras com 10.406 casos (26,55%), adenocarcinoma papilar com 1.121 casos (2,86%) e carcinoma cromófobo com 1.020 casos (2,6%). Dentre os pacientes estudados, 16,86% eram fumantes ou ex-tabagistas, contudo não havia essa informação de 22.210 pacientes (56,7%) Ademais, 5.245 tinham histórico familiar da doença (13,4%), porém não havia informação de 27.871 pacientes (71,12%). Quanto ao tratamento recebido, os principais foram cirurgia (54,6%), nenhum (17,2%) e quimioterapia isolada (6,9%). Conclusões: Diante disso, os achados concordam com a literatura existente e, portanto, são consistentes com a epidemiologia do câncer renal, demonstrando prevalência do diagnóstico em homens com mais de 50 anos, bem como predomínio do tipo de células renais. Além disso, observa-se a necessidade de mais informações a respeito do histórico familiar e história de tabagismo, uma vez que são fatores de risco para a doença. Quanto ao tratamento, o mesmo deve ser individualizado com base no estadiamento, com predomínio do tratamento cirúrgico, como é observado nos pacientes do estudo.

Palavras Chave

Câncer Renal; Neoplasias Urológicas; Epidemiologia Descritiva

Área

Câncer de Rim

Instituições

Universidade de Santa Cruz do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, Universidade do Extremo Sul Catarinense - Santa Catarina - Brasil

Autores

MARIANA DORNELLES FRASSETTO, MAURÍCIO MORETTO SALVARO, HENRIQUE PY LASTE, IURY SERRA MELO , MATEUS ARRUDA TOMAZ , JOAREZ FURTADO, LUÍSA ROSLER GRINGS, MARIANI LAURENTINO JESUÍNO, PAULO ROBERTO LASTE