Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

OCORRENCIA DE INCONTINENCIA URINARIA EM INDIVIDUOS SUBMETIDOS A PROSTATECTOMIA RADICAL

Resumo

O tratamento para câncer de próstata abrange intervenção cirúrgica, radioterapia,
quimioterapia e hormonioterapias. Em situação de carcinoma localizado na próstata a
modalidade de tratamento mais utilizada é a prostatectomia radical, ou seja, retirada da
próstata e das vesículas seminais, estando relacionada à ocorrência de incontinência
urinária (IU). Dessa forma, a IU é caracterizada pela perda involuntária de urina, podendo
ser causada principalmente por disfunção do mecanismo esfincteriano. Por conseguinte,
intervenções cirúrgicas sobre a próstata e fatores biológicos/anatômicos pré-existentes
podem coinfluenciar a ocorrência de IU.
Objetivos: Identificar estudos que analisam a ocorrência de incontinência urinária em
pacientes submetidos à prostatectomia radical.
Métodos: Para a realização deste estudo efetuou-se uma busca por revisões sistemáticas e
meta-análises no PUBMED publicadas nos últimos 10 anos através dos seguintes
descritores: prostatectomy, prostate, urinary incontinence.
Resultados: A remoção total da próstata e de tecidos adjacentes pode provocar alterações
no mecanismo esfincteriano urinário. Assim, após a prostatectomia radical, até 66% dos
pacientes apresentaram IU. As hipóteses mais exploradas indicam que um somatório de
fatores pré e peri-cirúrgicos é responsável por designar a ocorrência de IU. Nesse sentido,
um tamanho uretral não funcional, a não preservação do esfíncter urinário externo, do colo
vesical e dos feixes vasculonervosos apresentam-se como fatores peri-cirúrgicos para a
ocorrência da IU. Também, há fatores preditivos à IU pré-cirúrgicos sendo idade, IMC e
volume prostático elevados, bem como presença de sintomas do aparelho urinário inferior,
comorbidades e radioterapias.
Conclusões: A prostatectomia radical é o padrão ouro para tratamento de carcinoma uretral
localizado. Entretanto, a remoção da próstata e tecidos adjacentes está relacionada à
ocorrência de IU, com altos índices de prevalência pós-cirúrgicos. Dessa forma, a IU pós
prostatectomia radical está associada a fatores pré e peri-cirúrgicos, ligados a condições
biológicas, anatômicas e ao histórico do paciente, além dos fatores relacionados à
execução do processo cirúrgico. Portanto, o somatório destes deve ser considerado pelo
cirurgião urologista, a fim de estabelecer melhores abordagens pré e pós-cirúrgicas para
que ocorra regressão dos sintomas de IU quando possível.

Palavras Chave

câncer de próstata; prostatectomia radical; incontinência urinária.

Área

Complicações do tratamento oncológico (infertilidade, impotência, cistite ...)

Instituições

Centro universitário Redentor - Rio de Janeiro - Brasil, Universidade Federal de Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil

Autores

HELOÍSE SAICK DE PAULA, MARIA EDUARDA FERRARI, NUBIA MARQUES PACHECO, LORENZO GUERRERO, RAYSSA ALMEIDA NOGUEIRA