Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NEOPLASIA MALIGNA DE BEXIGA: ANALISE DA MORTALIDADE NO BRASIL NA ULTIMA DECADA

Resumo

Introdução: o câncer de bexiga é uma das neoplasias mais comuns do trato urinário, que acomete principalmente homens com mais de 60 anos. Apresenta mais de 357.000 novos casos e mais de 130.000 mortes anuais em todo o mundo. Apesar de possuir tratamento eficaz, é considerado um importante problema de saúde pública, devido a seu alto índice de prevalência e mortalidade. Objetivos: analisar a mortalidade por neoplasia maligna de bexiga no Brasil nos últimos dez anos (2010-2020). Metodologia: estudo descritivo e retrospectivo sobre a mortalidade de neoplasia maligna de bexiga no Brasil, por região, nos anos de 2010 a 2020. Os dados foram obtidos por meio do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS), pela ferramenta TABNET. A taxa de mortalidade (TM) foi considerada como a razão entre a quantidade de óbitos e o número de internações por neoplasia maligna de bexiga no período, multiplicada por 100. As variáveis utilizadas foram óbitos, faixa etária, sexo, unidade de federação e taxa de mortalidade. Para essa pesquisa não foi necessário aprovação do Comitê de Ética pois trata-se de um estudo de banco de dados público. Resultados: a partir dos dados analisados, constatou-se, no Brasil, um total de 10.451 óbitos por neoplasia maligna de bexiga na última década, com uma TM nacional de 6,6%. As regiões com a maior TM, acima da média nacional no período estudado, foram a região Norte (9,28%), região Centro-Oeste (7,15%) e região Nordeste (6,91%). As regiões Sul e Sudeste apresentaram uma TM de 6,5% e 6,41%, respectivamente. Do número total de óbitos, 68,19% eram do sexo masculino (7102 óbitos) e 31,80% do sexo feminino (3313 óbitos). A faixa etária com maior mortalidade foi entre 70-79 anos de idade, representando 32,04% do número total de óbitos; em seguida, entre 60-69 anos (26,1%) e 80 anos ou mais (24,4%). Dos óbitos totais, 95% acometeram adultos com mais de 50 anos (9895 óbitos). A faixa etária com menor número de óbitos foram os jovens menores de 20 anos, com apenas 19 casos notificados no Brasil na última década, correspondendo a 0,18% do total de óbitos. Conclusões: o câncer de bexiga na última década, foi a causa de 10.451 óbitos em todo território nacional e a região com o maior número foi a Norte. Pacientes do sexo masculino e com maior idade, principalmente acima de 50 anos, foram os mais acometidos, indo de encontro com as estatísticas mundiais.

Palavras Chave

neoplasia da bexiga urinária; mortalidade; epidemiologia;

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Universidade de Passo Fundo (UPF) - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

FRANCISCO COSTA BEBER LEMANSKI, GABRIELA KOHL HAMMACHER, PIETRA BRAVO ARAUJO, LETÍCIA REGINATO, LARISSA ROBERTA NEGRÃO, NATHALIA BECK CORRÊA, FABIANO DOS SANTOS BARATO, NICOLLE RODRIGUES SOUZA, LUCA CRESPI CORRADI, GABRIEL TARASCONI ZANIN