Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

OBITOS POR NEOPLASIA MALIGNA DE PROSTATA NA ULTIMA DECADA: UMA COMPARAÇAO ENTRE AS REGIOES BRASILEIRAS

Resumo

Introdução: A taxa global do câncer de próstata é substancial, estando entre os cinco principais cânceres em incidência e mortalidade. É sabido que trata-se da segunda maior causa de óbito oncológico no sexo masculino, sendo responsável, na última década, por 26.563 óbitos no Brasil.
Objetivo: Analisar comparativamente o número de óbitos ocorridos por neoplasia maligna de próstata na última década nas diferentes regiões brasileiras.
Método: Estudo epidemiológico transversal descritivo a partir de dados obtidos nos últimos dez anos através dos casos notificados disponíveis no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS). As variáveis estudadas foram as regiões brasileiras.
Resultados: Na região Sudeste, no período, houve 13.483 óbitos por neoplasia maligna de próstata, representando 50.79% do total de óbitos no Brasil nos últimos dez anos. A região Nordeste apresentou 5.425 mortes, significando 20.43% dos óbitos totais; em seguida, a região Sul teve 4.646 óbitos, com 17.50% do total; a região Centro-Oeste é a próxima, com 1.899 mortes, ou seja, 7.15% dos óbitos totais e por fim, a região Norte apresentou 1.090 óbitos, tendo 4.10% dos óbitos totais por neoplasia de próstata na década. Essa ordem se manteve quando analisadas as porcentagens das regiões brasileiras a cada ano, com exceção do Nordeste e Sul que em 2011 este estava com maior porcentagem que aquele. Ainda com a análise dos anos, é possível perceber um aumento de 64% dos óbitos por câncer de próstata entre os anos de 2011 e 2019. Em 2020 houve um decréscimo 10.69% do total em comparação com o ano anterior, entretanto, ainda se mantiveram as proporções antes citadas entre as regiões.
Conclusão: O presente estudo confirmou a considerável taxa de mortalidade pela neoplasia maligna de próstata e pode evidenciar que, ao longo dos últimos dez anos, o número de óbitos se manteve, apesar da diminuição no ano de 2020. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, a negligência contribui para uma detecção tardia da neoplasia, já que muitas vezes trata-se de uma doença silenciosa e reforça o papel do rastreamento adequado avaliando os riscos e potenciais benefícios.

Palavras Chave

Neoplasias da Próstata, Mortalidade.

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

JULIA BORTOLINI ROEHRIG, NATALI ROCHA BERNICH, JULIA ESTRAZULAS FALCETTA, SABRINA NAVROSKI, LAURA TOFFOLI, BIANCA BRINQUES DA SILVA, CAROLINA SOUZA BASSO, GABRIELA KREUTZ FERRARI, ANA LAURA TERRA AFFONSO