Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

BIOPSIA DE PROSTATA GUIADA POR ULTRASSOM TRANSRETAL VERSUS BIOPSIA DE PROSTATA DIRECIONADA POR RESSONANCIA MAGNETICA NA SUSPEITA CLINICA DE CANCER DE PROSTATA: UMA REVISAO DE LITERATURA.

Resumo

INTRODUÇÃO: O melhor método para biópsia de próstata em pacientes com suspeita clínica de câncer de próstata ainda é debatido. Em homens virgens para biópsia, os dois principais meios diagnósticos são o ultrassom transretal (TRUS) e a biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética (RI-TB). OBJETIVO: Analisar as diferenças entre a biópsia de próstata guiada por ultrassom transretal versus biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética. MÉTODOS: Realizado uma revisão de literatura, por meio de um levantamento de dados internacionais e nacionais do PubMed, MEDLINE e SciELO, no período dos últimos 15 anos que comparavam os resultados entre a biópsia de próstata guiada por ultrassom transretal versus biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética, sendo inclusos: metanálises, revisões sistemáticas e estudos de coortes. Foram utilizados os descritores de busca: câncer de próstata, biópsia de próstata, biópsia de próstata guiada por ultrassom transretal e biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética. RESULTADOS: No total treze artigos foram inclusos no estudo. Em comparação com a biópsia TRUS, a ressonância magnética foi mais sensível (93 % vs 48 %), mas menos específica (41 % vs 96 %) na detecção de câncer clinicamente significativo e menos cânceres clinicamente insignificantes (9 % versus 22 %). A RM também poupou biópsias desnecessárias em aproximadamente 37 % que tiveram uma ressonância magnética negativa. Além disso, a biópsia direcionada pela ressonância magnética resultou em menos complicações inerentes ao procedimento. No geral, até 21% dos homens tiveram câncer detectado por biópsia sistemática que havia sido detectado por uma biópsia direcionada por ressonância magnética, enquanto 10% tiveram câncer detectado por biópsia direcionada e que não fora detectado por biópsia sistemática. Portanto, um resultado de ressonância magnética negativo não deve evitar a necessidade de biópsia da próstata quando indicado de outra forma clínica. CONCLUSÃO: Apesar dos resultados serem favoráveis a biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética, os dados são insuficientes para recomendar a ressonância magnética antes de cada biópsia de próstata inicial. Assim, a biópsia por TRUS permanece a abordagem padrão para a maioria dos pacientes submetidos à biópsia pela primeira vez.

Palavras Chave

câncer de próstata; biópsia de próstata; biópsia de próstata guiada por ultrassom transretal; biópsia de próstata direcionada por ressonância magnética

Área

Câncer de Próstata Localizado

Instituições

Universidade do Oeste de Santa Catarina - Santa Catarina - Brasil

Autores

JACKSON RIBEIRO FERNANDES, JAMILE ROSSET MOCELLIN, ANTONIO EUCLIDES PEREIRA DE SOUZA JUNIOR