Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DA MORTALIDADE POR NEOPLASIA TESTICULAR NO BRASIL ENTRE 2010 E 2019

Resumo

INTRODUÇÃO: A neoplasia testicular é um tipo de câncer raro, agressivo e com alto índice de duplicação das células tumorais. Com um tratamento eficaz e precoce, é facilmente curado e apresenta baixo índice de mortalidade. Fatores genéticos e ambientais demostram uma contribuição para o desenvolvimento da patologia, sendo os principais fatores de risco história pessoal ou familiar de câncer testicular, idade, infertilidade, lesões e traumas na bolsa escrotal, exposição a agrotóxicos e criptorquidia. OBJETIVOS: Analisar a mortalidade por neoplasia testicular no Brasil entre 2010 e 2019. MÉTODOS: Estudo epidemiológico e comparativo com relação a taxa de mortalidade e número de óbitos por neoplasia de testículo no Brasil, utilizando os dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), entre os anos de 2010 e 2019. Ademais, realizado estudo de revisão sistemático qualitativo através de artigos das bases de dados Biblioteca Virtual em Saúde e United States National Library of Medicine (PubMed), entre os anos de 2012 e 2021. RESULTADOS: Através dos dados do INCA referentes ao número de óbitos por neoplasias de testículo, realizando-se uma média de mortes por região e no Brasil entre 2010 e 2019, observa-se que há uma preponderância do Sudeste (45,46%), seguido pelas Regiões Sul (27,62%), Nordeste (13,72%), Norte (7,10%) e Centro-Oeste (6,07%). Outrossim, evidencia-se no Brasil um aumento de 161 mortes, sendo 79 do Sudeste, 32 Nordeste, 32 Sul, 11 Centro-oeste e 07 Norte. Ademais, os anos com as maiores taxas percentuais de óbitos por neoplasia testicular em comparação ao número de óbitos totais, entre 2010 e 2019, foram os anos de 2011 (Norte), 2015 (Centro-oeste), 2017 (Sudeste), 2018 (Sul e Norte) e 2019 (Centro-oeste, Sudeste, Nordeste e Brasil), sendo notória uma elevação nas taxas no ano de 2019 em grande parte do território nacional. CONCLUSÃO: Mediante as análises realizadas, faz-se mister uma análise pormenorizada dos óbitos por neoplasias testiculares, no Brasil, em especial nos anos de 2020 e 2021, visando verificar se o aumento persistiu nos anos subsequentes. Além disso, identificar se a mortalidade é devido ao tratamento inadequado ou à deficiência no rastreio. Portanto, é essencial a adoção de medidas públicas a fim de auxiliar no diagnóstico e tratamento precoce desses pacientes.

Palavras Chave

Mortalidade, Neoplasia Testicular, Brasil.

Área

Câncer de Testículo

Instituições

Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ - Paraíba - Brasil

Autores

FERNANDO DE PAIVA MELO NETO, ARTÊMIO JOSÉ ARARUNA DIAS, ANNA JULIE MEDEIROS CABRAL, DAVI RODRIGUES DE SOUSA, EDUARDO PIMENTEL CARNEIRO BRAGA, FILIPE EDUARDO AGUIAR COSTA FILHO, GABRIEL LUCENA DE CARVALHO SOARES, MARINNA KARLA DA CUNHA LIMA VIANA, MAURÍCIO VASCONCELOS VALADARES NETO, BIANCA ETELVINA SANTOS DE OLIVEIRA