Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DAS TAXAS DE MORTALIDADE POR NEOPLASIA MALIGNA DE BEXIGA NO BRASIL ENTRE 30 A 79 ANOS: UMA ANALISE EPIDEMIOLOGICA DA ULTIMA DECADA.

Resumo

Objetivos: De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, a neoplasia de bexiga é um dos tumores mais frequentes no mundo está atrás apenas da neoplasia de próstata. Essa neoplasia causa elevada morbidade devido ao seu principal fator de risco- o tabagismo. No Brasil, em relação à mortalidade a neoplasia maligna da bexiga ocupa o 4º lugar nos homens e o 8º lugar nas mulheres. Sendo assim, é pertinente analisar o perfil epidemiológico por mortalidade da neoplasia de bexiga dos brasileiros; para assim, caracterizar possíveis mudanças de cenário nos próximos anos. Métodos: A análise epidemiológica do período de 2010 a 2020 dos dados referentes à neoplasia maligna da bexiga foi obtida pelo Sistema de Mortalidade do Departamento de Informática do SUS (DataSus). Resultados: Na análise realizada no período entre 2010 a 2020 observamos que as regiões do país que apresentam as maiores taxas de mortalidade por neoplasia maligna da bexiga de 30 a 69 anos são: norte e centro-oeste com 9,07 e 6,83 a cada mil habitantes respectivamente. Ao analisarmos as taxas de mortalidade por faixa etária foi possível identificar que os estados da região Norte do país destacam-se por apresentar valores acima da média em todas as idades. Além disso, pode-se observar que o ano de 2013 apresentou a maior taxa de mortalidade com (6,32 / mil habitantes) o que está acima da média brasileira do período estudado de 5,93. Ademais, é evidente no estudo que a partir dos 70 anos ocorre um aumento significante nessas taxas, quando comparado com a faixa etária de 30 a 69 anos. Ademais, o intervalo etático dos 70 aos 79 anos está com a taxa de (1,21/ mil habitantes) acima da média do cenário nacional. É importante destacar que ao analisarmos os dados foi possível observar que durante o período de 2010 a 2020, algumas taxas de mortalidade expandiram progressivamente. Conclusões: As taxas de mortalidade por neoplasia da bexiga permitiram caracterizar e entender a importância do seu perfil epidemiológico. Desta forma, esses dados servirão de subsídio na implementação de políticas públicas mais eficientes para os hospitais, em ações preventivas, de controle e tratamento do câncer.

Palavras Chave

Bexiga; Mortalidade; Neoplasia.

Área

Câncer Bexiga

Instituições

Universidade Anhanguera - Rio Grande do Sul - Brasil, Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

ISABELLE ZANUZ COUSSEAU, VIVIAN LIZ DE MEDEIROS VIEIRA