Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

COMPARAÇAO ENTRE O NUMERO DE CASOS E O TEMPO DE TRATAMENTO POR NEOPLASIA MALIGNA DO RIM NO BRASIL: UMA ANALISE EPIDEMIOLOGICA DE 2013 A 2020

Resumo

Objetivos: Conforme o Instituto Nacional De Câncer o principal tipo de câncer que pode atingir o rim, e que corresponde a aproximadamente 75% dos casos, é o carcinoma renal de células claras (CRCC). No Brasil, a incidência estimada é de 7 a 10 casos para cada 100 mil habitantes ,nas regiões mais desenvolvidas no Brasil, mas é o mais letal dos cânceres urológicos. O prognóstico desse tipo de câncer depende, dentre outros fatores, da idade do paciente e da rapidez em se diagnosticar e tratar a doença. Deste modo, este trabalho tem como objetivo analisar as taxas de mortalidade e estimativas relacionadas a neoplasia em uma faixa etária de 30 a 79 anos, entre os anos de 2013 a 2020 no Brasil. Métodos: A análise epidemiológica do período de 2013 a 2020 dos dados referentes à neoplasia maligna do rim foi obtida pelo Sistema de Internações e Tempo de tratamento do Departamento de Informática do SUS (DataSus). Resultados: Na análise feita de 2013 a 2020, ocorreram aproximadamente 13 mil casos de internações por neoplasia maligna do rim no Brasil. Além disso, o estado com maior prevalência de internações foi São Paulo com cerca de 3 mil casos e a faixa etária mais prevalente, no Brasil, fica entre 60 aos 69 anos com aproximadamente 4 mil casos e temos uma sobreposição do sexo masculino ao feminino de 18%. Em relação ao tempo de tratamento existem três divisões com as suas respectivas taxas de adesão- até 30 dias (72,8%), de 31 a 60 dias (6,8%) e acima de 60 dias (20,4%), o estado de São Paulo consta com a maior incidência (28,6%) nas três divisões, seguido de Minas Gerais (13,3%) e Rio Grande do Sul (12,7%). No âmbito regional, o Sudeste se destaca com (48,5%) na somatória do tempo de tratamento também no número de casos de neoplasia maligna do rim (45%). Ao analisarmos anualmente o período estudado, encontramos maior prevalência de casos no ano de 2019 com cerca de 4 mil casos e a menor prevalência em 2014 com cerca de 600 casos. Conclusões: A análise epidemiológica de neoplasia do rim possibilita a compreensão de que, no Brasil esse câncer possui elevados riscos de desfechos negativos na terceira idade . Entende-se que é importante conhecer o seu perfil epidemiológico, de forma a definir ações preventivas e continuar com a adesão do menor tempo de tratamento da doença.

Palavras Chave

Rim; Tratamento; Neoplasia.

Área

Câncer de Rim

Instituições

Universidade Anhanguera - Rio Grande do Sul - Brasil, Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

ISABELLE ZANUZ COUSSEAU, VIVIAN LIZ DE MEDEIROS VIEIRA