Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TRATAMENTO MINIMAMENTE INVASIVO EM CARCINOMA UROTELIAL DE TRATO URINARIO SUPERIOR: REVISAO BIBLIOGRAFICA

Resumo

Introdução: O carcinoma urotelial do trato urinário superior (UTUC), mais particularmente da pélvis renal, é uma doença rara, representando entre 5% a 10% das neoplasias uroteliais. O tratamento cirúrgico convencional é a nefroureterectomia com excisão do “cuff” vesical. A abordagem radical, no entanto, é associada a alta morbidade e aumento do risco cardiovascular dos doentes à longo prazo. Em tumores de baixo grau, o tratamento minimamente invasivo (TMI) é uma opção. O desenvolvimento de técnicas poupadoras de néfrons (KSS) tem mudado este cenário, possibilitando o tratamento de forma segura e pouco invasiva. Essa abordagem, quando bem indicada, permite a preservação da função renal, mantendo resultados oncológicos satisfatório.

Métodos/Objetivo: Existe uma escassez de dados na literatura sobre o TMI de pacientes portadores de UTUC de baixo grau. Por meio deste trabalho, temos como objetivo revisar na literatura dados disponíveis nos últimos 10 anos sobre o tema. A partir dessa análise, coletaremos informações sobre diagnóstico, estadio e tratamento minimamente invasivo do carcinoma urotelial do trato urinário superior, bem como seu prognóstico em pacientes submetidos a esse método terapêutico

Discussão & Conclusão: O (UTUC) é uma neoplasia rara, de difícil diagnóstico e de tratamento bastante desafiador. A baixa acurácia dos exames seja para o diagnóstico ou estadiamento pré-operatório deste tipo tumor, associado a falta de informações sobre o tema na literatura frequentemente corroboram para adoção de táticas cirúrgicas demasiadamente agressivas em seu tratamento. Classicamente o TMI esta indicado nos casos de tumores bilaterais, rim único ou insuficiência renal avançada. Entretanto, nos casos de tumor urotelial de baixo grau o tratamento minimamente invasivo pode ser uma boa opção. Mais estudos prospectivos e de longo prazo são necessárias para validar este tipo de abordagem. Entretanto, em pacientes selecionados, é possível garantir um tratamento oncológico seguro sem comprometer a função renal dos doentes a longo prazo.

Palavras Chave

carcinoma urotelial do trato urinário superior, tratamento não invasivo

Área

Câncer de rim

Instituições

UNICAMP - São Paulo - Brasil

Autores

CAIO DE OLIVEIRA, MARCELO PETEAN AMARO, GABRIEL CHAHADE SIBANTO SIMÕES, ARTHUR DEGANI OTTAIANO, JOÃO MARCOS IBRAHIM, ANDRÉ CANETTIERI RUBEZ, FÁBIO FRANCO DE OLIVEIRA, LUKAS COSTA DE SALLES, WILMAR AZAL NETO, LEONARDO OLIVEIRA REIS