Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O IMPACTO DO ACOMETIMENTO DOS DUCTOS DEFERENTES NA RECIDIVA BIOQUIMICA EM PACIENTES COM NEOPLASIA DE PROSTATA ESTADIO T3B SUBMETIDOS A PROSTATECTOMIA RADICAL

Resumo

O câncer de próstata tem como fatores prognosticos o grau histológico (Gleason), PSA, volume tumoral e invasão das vesículas seminais. Este ultimo está associado a maiores taxas de recidiva bioquímica, metástases à distância e mortalidade câncer específico. O ducto deferente, por sua vez, encontra-se em continuidade com a vesícula seminal bilateralmente. Ainda não está claro, no entanto, se a invasão dos ductos deferentes esta relacionada a um pior prognostico, quando associada à invasão da vesícula seminal. Este estudo analisou a influência da invasão dos ductos deferentes em pacientes submetidos a prostatectomia radical por tumor estadio T3b, na recidiva bioquímica, quando comparado a pacientes com ductos deferentes livres de invasão. Foram avaliados retrospectivamente 53 pacientes. Os critérios de inclusão foram pacientes submetidos a prostatectomia radical, com diagnóstico de câncer de prostata e acometimento de vesículas seminais confirmado ao exame anatomopatológico, que mantiveram acompanhamento ambulatorial pós operatório. Criterios de exclusão foram falta de informações relevantes a partir de prontuários médicos,
pacientes que não apresentaram dosagem de PSA menor 0,2 ng/ml após cirurgia ou que não possuíam dosagens de PSA pós operatórias. Foram então divididos em dois grupos, com e sem acometimento de ductos deferentes. Foi definido como recidiva bioquímica o aumento do PSA maior ou igual a 0.2 ng/ml após prostatectomia radical e foram comparadas as diferenças estatísticas da recidiva entre os dois grupos, além das diferenças epidemiológicas de cada grupo. 32 pacientes foram incluidos no estudo, sendo 20 deles sem acometimento dos ductos deferentes, enquanto 12 apresentavam invasão dos ductos. O grupo com acometimento apresentou 3,05 vezes mais risco de recidiva em relação ao grupo sem acometimento, com IC95% (1,12; 8,32). Entretanto, não houve diferença significativa entre o tempo de recidiva entre ambos os grupos quando esta ocorria (p 0,243). As curvas de recidiva (Kaplan-Meier e Cox) mostraram um afastamento entre as curvas dos dois grupos. A recidiva bioquímica, por sua vez, possui uma associação com a progressão para metástases e óbito, sendo, portanto, um desfecho adequado, com boa correlação com a sobrevida. Portanto, com o maior risco relativo de recidiva bioquímica nos pacientes com acometimento dos ductos deferentes, podemos inferir também um maior risco de metástase e menor sobrevida nesse grupo.

Palavras Chave

Câncer de próstata, recidiva, ductos deferentes, Vesículas seminais, prostatectomia radical

Área

Câncer de próstata localizado

Instituições

UNICAMP - São Paulo - Brasil

Autores

ARTHUR DEGANI OTTAIANO, MARINA BERTOLINI MATHEUS, ROGERIO CARDOSO DA SILVA, ALINE AKEL FERRUCCIO, GABRIEL CHAHADE SIBANTO SIMOES, LEANDRO LUIZ LOPES DE FREITAS, ANGELA MARIA ELIZABETH PICOLOTTO NACCARATO, ATHANASE BILLIS, UBIRAJARA FERREIRA, WAGNER EDUARDO MATHEUS