Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

NEOPLASIA MALIGNA DE BEXIGA: ANALISE DAS INTERNAÇOES NA REGIAO SUL DO BRASIL

Resumo

INTRODUÇÃO: A Neoplasia Maligna de Bexiga é responsável por mais de 1,3 milhões de casos anualmente, sendo a sexta neoplasia de maior incidência. Ademais, tende a afetar mais o sexo masculino e maiores de 50 anos.
OBJETIVO: Descrever as características das internações pela Neoplasia Maligna de Bexiga na Região Sul do Brasil, quanto à distribuição por regiões, óbitos, sexo, faixa etária do período 2012-2021.
METODOLOGIA: Realizou-se um estudo descritivo transversal utilizando a base de dados do DATASUS, no período de fevereiro de 2022, filtrando por internações segundo região , óbitos, faixa etária e custo médio das internações durante o período 2012-2021.
RESULTADOS: As internações referentes a Neoplasia Maligna de Bexiga, no Brasil, variaram de 2.422 em 2012 a 3.947, em 2021, totalizando 34.454 internações, 21,9% do total brasileiro. O estado com o maior número de internações foi o Rio Grande do Sul, que totalizou 13.593 (39,5%), seguida de Paraná, com 13.200 (38,3%) e Santa Catarina, 7.661 (22,2%).Os óbitos, foram de 170 em 2012 a 264, em 2021, totalizando 2.218. Em relação aos estados, temos: Rio Grande do Sul, com 853 (38,5%) óbitos, Paraná, com 810(36,5%) e Santa Catarina, com 555 (25%). Em relação ao sexo, temos: 24.940 (72,4%) internações por parte do sexo masculino e 9.514 (27,6%) pelo feminino. Quanto aos óbitos, o sexo masculino totalizou 1.555 (70,1%) e o feminino 663 (29,9%). Em relação a idade dos pacientes, temos que a faixa etária com o maior número de internações foi a dos entre 60 e 69 anos, que totalizaram 10.872 (31,6%), seguido dos com 70 a 79 anos, com 10.839 (31,5%), 50 aos 59 anos, 5.344 (15,5%), maiores de 80 anos, 4.954 (14,4%), 40 a 49 anos, 1.635 (4,7%) e, por fim, os com 39 anos ou menos, 810 (2,3%). No quesito óbitos, a faixa etária mais afetada foi a dos 70 a 79 anos, com 750 (33,8%), seguida dos entre 60 e 69 anos, 562 (25,3%), dos maiores de 80 anos, 556 (25%) dos com 50 a 59 anos, 257 (11,6%), 40 a 49 anos, com 65 (3%) e, dos com 39 anos ou menos, 28(1,3%).
CONCLUSÃO: As internações por Neoplasia Maligna de Bexiga aumentaram 63% no período, assim como os óbitos, 55,3% na Região Sul do Brasil. O estado do Rio Grande do Sul apresentou o maior número de internações e óbitos, 39,5% e 38,5%, respectivamente. O sexo masculino apresentou-se como o mais afetado, representando 72,4% das internações e 70,1% dos óbitos. A faixa etária mais afetada foi a dos 70 a 79 anos, totalizando 31,5% das internações e 33,8% dos óbitos.

Palavras Chave

Neoplasia Maligna de Bexiga; Epidemiologia; Brasil

Área

Câncer de bexiga

Instituições

Universidade Luterana do Brasil - Rio Grande do Sul - Brasil

Autores

ANDREI LEONARDO SCHUSTER, BÁRBARA FRANCCESCA BRANDALISE BASSANI, ELSON ROMEU FARIAS